Marseille

Marseille na França. Uma aventura na cidade.

Vamos conhecer Marseille, na França. Localizada no início da Côte d’Azur no mediterraneo, a cidade de Marseille na França à primeira vista parece uma cidadezinha com ar de cidade grande…

Sobre Marseille

Por ser uma cidade portuária, toda a organização da cidade de Marseille, parece um anfiteatro, como se tudo fosse construído para funcionar em torno do porto e para que quem viva lá possa contemplar o mar.

Essa é a melhor explicação de a região se chamar Costa Azul.

Porque eu decidi ir para Marseille?

Desde pequena minha família sempre teve o costume de pegar a estrada e ir conhecer lugares diferentes ou até mesmo sair sem rumo e ir parando no caminho para conhecer as surpresas da estrada.

Quando me mudei para Espanha não foi muito diferente. Tirei a sorte grande de ter uma prima morando em Barcelona e que também gosta do conceito “se divertir do jeito que podemos”.

Buscávamos um pouco de aventura e ao mesmo tempo aproveitar uma vida boêmia comendo e bebendo bem e Marseille nos pareceu um destino plausível para testarmos isso em um fim de semana. 

Qual era o plano pra Marseille?

Para comemorar meu primeiro verão europeu, planejamos fazer aquela ¨mistura de Brasil com Egito, ops, França¨: um pouco de luxo e um pouco de perrengue.

Decidimos viajar de ônibus e alugar apenas um quarto no Airbnb pra poder caprichar nas experiências da cidade, desde comer muitas ostras e queijos em Marseille, até fazer caiaque nas calanques franceses.

Te conto mais a seguir, mas antes de matar essa curiosidade toda:

Quando aconselhamos ir pra Marseille?

Por ser uma cidade litorânea, nada melhor do que aproveitar os meses quentes e as praias com formatos diferentes que a cidade pode te proporcionar.

Até porque vinho branco ou rosé geladissimos são a combinação perfeita para se refrescar no calor de quase 40 graus úmidos da Europa.

Se você não é tão fã assim do calorzão como nós duas, entre março e maio, setembro e outubro são uma boa opção para aproveitar a cidade com mais calma, tanto em relação ao calor como de gente (depois dos tempos covidicos, um dos nossos principais requisitos para viajar né)

Pé na estrada, babies!

Pegamos um ônibus em Barcelona numa sexta à noite para chegar lá no sábado de manhãzinha (às 6 da manhã) e já aproveitar o dia.

Nosso Airbnb ficava localizado perto do centro de Marseille onde podíamos fazer quase tudo a pé.

Antes de fazer checkin, passamos pelo porto antigo para tomar um café e reviver os corpinhos depois de uma noite cansativa de ônibus.

Fomos em direção ao Airbnb a pé e passamos por alguns pontos turísticos entre eles a Catedral de Marseille (Cathédrale La Major) e a parte externa do Museu das Civilizações da Europa e do Mediterrâneo (Mucem).

Deixamos nossas mochilas, colocamos um biquíni e saímos em direção ao mercado com nossa mochila térmica (item imprescindível pro verão junto com essas barras de gelo reutilizáveis, mesmo com 2 mochilas nunca me arrependo de levá-la).

Compramos queijos, patês e um vinho rosé gelado pra começar com o pé direito, além de baguetes mil.

vinhos
Compramos vinho = todos os vinhos da cidade.

Compras feitas, que comece a aventura!

Dentro da cidade nos locomovemos usando patinetes elétricos para aproveitar o sol e o clima gostoso da cidade.

Essa foi a época do boom de aplicativos dealuguel de patinetes pela Europa e, apesar de ter um pouco de preconceito com eles no início, acabei me divertindo muito.

Nossa primeira parada foi o Vallon des Auffes, um pequeno porto de pescadores locais que possui uma ponte que nos dá uma vista incrível dos barcos e dos restaurantezinhos. É esse da foto de capa.

Descemos pelas vielas até a piscina do Vallon des Auffes, que é uma piscina de água salgada construída com as rochas locais. Comentando novamente sobre a cor da água, toda vez que eu reparava, me impressionava ainda mais, um azul inexplicável e uma transparência mindblowing!

vallon

Passamos a tarde na piscina com nossas comidinhas e vinhos e no fim da tarde, como estávamos cansadas por toda a viagem de ônibus e estarmos acordadas desde as 6 da manhã, apenas passeamos pela cidade novamente e tomamos um vermute para relaxar em uma terraza perto do apartamento que ficamos.

Filminho e cama cedo pois o domingo começaria bem cedinho também.

As tais das Calanques.

As calanques são espécies de fiordes, penhascos ou grandes cânions que se abrem para trechos de mar formando uma espécie de baía com paredões de pedra localizados no mar mediterraneo.

Existem dois jeitos de se aventurar pelas Calanques: 

  • por terra, por meio de trilhas
  • por mar, que você pode ir de diversas formas como por exemplo barco ou caiaque (no caso, a nossa opção)

Eu recomendo que em qualquer opção você pesquise a melhor forma para você chegar até as prainhas em segurança e que possa aproveitar todo o trajeto. 

Como é ir de Caiaque?

Nós decidimos fazer um trajeto de caiaque de “meio dia”: o trajeto durou em torno de 5h contando com um descanso ao chegar na praia da calanque. Por ser apenas o fim de semana e ainda queríamos aproveitar um pouco mais da gastronomia de Marseille, optamos por fazer essa aventura de manhã e assim teríamos tempo de descansar também, mas existem outros que você pode explorar mais de uma calanque e que dura em torno de 6 a 8h. 

Novamente acordamos antes de o sol nascer e saímos rumo a Cassis, uma cidadezica no distrito de Marselha. Pegamos o metrô super retrô e depois um trem que nos deixou na estação de Cassis.

marseille
O metrô, retrô.

Combinamos com os atendentes da companhia de caiaque que eles iriam nos buscar na estação, pois é uma caminhada de 30min (segundo o google maps) até o centro de Cassis. 

Chegando lá ganhamos uma bolsa impermeável para guardar nossas coisas, fizemos um leve alongamento com o grupo, descemos e fomos para o mar.

Em Cassis.

Apesar de sermos as únicas que não falavam francês do grupo, o instrutor foi muito amável de nos traduzir tudo para o inglês (sim, parece bobagem, mas já passei por poucas e boas por não falar a língua local). 

A água estava bem gelada porém perfeita para os mais de 30 graus às 9 da manhã e um pouco agitada.

O instrutor sempre se mantinha acompanhando todo o grupo para se certificar que todos estavam bem.

De início fizemos um esforcinho até pegar o ritmo e seguir o grupo, nos aventurando para tirar algumas fotos no meio do caminho.

O trajeto começou no porto da calanque de Port-Miou, passando por Port Pin e finalmente parando na prainha da calanque d’En Vau para descansarmos e aproveitarmos o mini paraíso.

Recomendações de acessórios para esse tipo de viagens

Como as praias de lá são na maioria de pedrinhas e não areia, sempre vá com um tênis ou um sapatinho próprio para esse tipo de esportes, assim você pode pisar com tranquilidade sem medo de se machucar.

E, também, essas capinhas de celular à prova d’água. Tudo isso você pode encontrar por um preço razoável em lojas como a Decathlon.

Mas Vitória, até agora só perrengue e aventura. Cadê o luxo?

Calma, apreciamos nosso momento Dora Aventureira, comemos alguns aperitivos no porto de Cassis e voltamos para Marselha para o grande momento do fim de semana: comer como rainhas (ou quase kkkk). 

Antes do jantar paramos no Bar des 13 Coins, um “boteco” no final da Rue du Panier, uma rua cheia de restaurantes e bares que colocam as mesinhas na calçada do jeito que a gente gosta.

E assim aproveitamos para ver a vida passar e tomar o famoso Pastis, um aperitivo francês feito a partir da maceração de flores e ervas e com a adição final de anis.

marseille

Por ser bem alcoólico (entre 40 e 45% de álcool), a bebida é servida de uma forma parecida ao absinto: 1 parte de pastis para 5 a 7 partes de água gelada.

Uma experiência deliciosa para quem gosta de bebidas mais herbais com um fundinho doce. 

E pra deixar esse saco sem fundo que eu chamo de estômago feliz, chegamos a hora mais feliz do dia: comer frutos do mar até não conseguir mais. 

A melhor hora: comida!

Depois de dar uma olhada nas várias opções que encontramos no Google Maps, optamos pelo restaurante Entre Terre & Mer, que possui boas recomendações e um preço justo para o que estávamos buscando.

Pedimos o menu degustação composto por ostras, camarões, mexilhões, búzios (um tipo de caracol marinho) e amêijoas (um tipo de molusco).

Tudo isso acompanhado de pães e manteiga, afinal quem diz não pra um pão e uma manteiguinha franceses não é mesmo?

Comemos até falar “não dá mais” com um bom vinho branco pra acompanhar e terminamos nosso domingo caminhando até “em casa” para fazer a digestão e ver um pouco da vida noturna da cidade. 

Talvez por ser um domingo, estava um movimento mais tranquilo, mas ainda assim, com muita gente na rua aproveitando para se refrescar do calor europeu em pleno agosto.

O fim da viagem

Acordamos na segunda feira com aquela canseirinha de fim de viagem, porém ainda animadas para mais um passeio até chegar a hora de pegarmos o ônibus de volta para Barcelona.

Saímos do Airbnb pela manhã com nossas mochilinhas e fomos caminhando até a prefeitura.

Sim, uma das melhores formas de se conhecer uma nova cidade, na minha opinião, é se “perder” pelas ruas caminhando – apenas se certifique de ter um mapa a mão pra nao se perder de verdade.

Depois do passeio, paramos em um bar na pracinha em frente a prefeitura e tive uma das experiências mais engraçadas que se pode ter em um bar: junto com nossa cerveja e nossos petiscos veio junto uma arminha de água para espantar as pombas que queriam nossos amendoins. Muito amor.

marseille
O bar que serve arminhas contra pombos

Na minha opinião, uma inovação fantástica para se ter num bar, pois lá realmente foi uma mini batalha para mantê-las longe da comida. Abusadas elas! hahahha

Fechamos nossa viagem passando em um mercado para voltar com as mochilas cheias de vinho francês, claro!

Algo que nunca vou me arrepender de fazer é carregar mais esse pesinho nas costas. Compramos 6 garrafas de vinhos fantásticos por pouco mais de 20€ e passamos o resto do nosso verão em Barcelona tomando vinhos deliciosos do sul da França.

Mais fotos:

Beijos da Vitória “Dora” e até a próxima! 

E Elizabeth Werneck nossa parceira, falou no site dela, sobre 10 cidades francesas imperdíveis, corre lá pra ver!

marseille
marseille
anteriormente eu disse, assim,  certamente só clicando aqui.
ademais
afinal
aliás
analogamente
anteriormente
assim
certamente
conforme
conquanto
contudo
decerto
embora
enfim
enquanto
então
entretanto
eventualmente
igualmente
inegavelmente
inesperadamente
mas
outrossim
pois
porquanto
porque
portanto
posteriormente
precipuamente
primeiramente
primordialmente
principalmente
salvo
semelhantemente
similarmente

42 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *