Portão de Brandemburgo na cidade de Berlim.

Visitando a cidade de Berlim como turista, fiquei bastante surpresa ao perceber a curiosidade dos alemães em saber o que eu estava fazendo por lá. Ainda mais curioso foi, após dizer estar de férias, eles me perguntarem: “Nossa, mas, Berlim?”. Sim, isso mesmo! Ainda que os moradores da cidade não tenham essa ideia, vou contar porque Berlim, a capital da Alemanha, é uma das cidades mais legais do mundo e porque você precisa conhecê-la!

CAMINHANDO POR BERLIM
CAMINHANDO POR BERLIM

O que dizer sobre Berlim?

É possível pensar em Berlim, na Alemanha, em suas características duras e tristes, isto é, pelas guerras históricas, pelo muro de Berlim ou pelas pessoas frias. Aliás, se pensamos no seu modo super correto, pragmático, tudo muito quadrado e Bauhaus, podemos deixar de lado todas as características positivas da cidade. Mas não caia nessa! Berlim é uma cidade impressionante.

Atualmente é uma cidade das artes, de artistas e de museus. Afinal, são mais de 170 museus, incluindo a mundialmente famosa Ilha dos Museus (que exibem os tesouros do mundo), muitas galerias de arte e festivais urbanos.

Com a finalidade de destacar as qualidades da cidade de Berlim, vou falar dos principais motivos da minha viagem e passar algumas dicas de Berlim como, por exemplo, o que fazer na cidade, quando visitar, quantos dias ficar e muito mais!

O que não se pode deixar de ver em Berlim?

Berlim é uma parada obrigatória e um lugar ideal em uma viagem de turismo na Europa. Com todas as praças, comida local incrível, uma história rica, cervejas mundialmente famosas e alguns dos lugares e museus mais notáveis ​​do mundo, Berlim tem inúmeras atrações.

Os principais lugares para visitar em Berlim são:

  • Ilha dos Museus
  • Caminhar por Kreuzberg
  • Topografia do Terror
  • Portão de Brademburgo
  • Visitar o Reichstag
  • Conhecer o Muro de Berlim
  • Visitar o Tiergarten

Berlim e a Ilha dos Museus

No coração de Berlim, se concentra um complexo composto por 5 museus conhecidos como a Ilha de Museus. O nome é porque esses museus se localizam em uma região contornada pelo rio Spree, que banha a capital alemã.

Esse complexo cultural é um dos patrimônios mundiais da UNESCO. Os museus não só possuem acervo nacional, mas também há obras de artistas famosos em todo o mundo. Alguns exemplos são Cézanne, Rausch ou Picasso.

Um dos museus, o Pergamonmuseum, é especificamente focado na cultura do oriente, famoso por ter o Portal de Ishtar (ou Portal da Babilônia). Ele foi construído pelo rei Nabucodonosor II. É tão grandioso que é difícil colocar em uma foto só. Isso porque na reconstrução que fizeram, incluíram o caminho que levava até o Portal (e tem uma história muito bárbara). 

Além do Pergamonmuseum, na Ilha de Museus você encontrará:

Foto do Pergmonmuseum em Berlim, Alemanha.
Museu Pergamonmuseum foca, especificamente, na cultura do oriente.

Museum Pass

Esse é um cartão que garante entrada em muitos museus na cidade de Berlim. Aliás, essa é uma dica para você curtir bastante a cidade se acaso museu é a sua praia. Com esse cartão, você poderá entrar em mais de 50 museus durante o período de 3 dias e custa em média 29 €.

Se acaso você não tem certeza se quer conhecer esse lindo lugar, saiba que você também pode comprar a entrada lá mesmo. Se você é estudante, use sua carteirinha, pois você terá um desconto parcial. Neste caso, a sua universidade deve ser reconhecida pelo órgão responsável da Alemanha.

Ah! Ainda que os museus sejam próximos uns dos outros, é necessário se planejar, pois os museus são grandes. 

Kreuzberg é um bairro famoso pelo undergroung e a famosa East Side Gallery. Na East Side Gallery você encontra parte do que sobrou do muro de Berlim. Esse muro contém hoje diversas obras gráficas incríveis como, por exemplo, a icônica pintura do artista russo Dimitri Vrubel “The Kiss” (1990). O Beijo foi pintado com base na foto de Régis Bossu. A foto capturou o momento de um beijo na boca entre Erich Honnecker e Leonid Brezhnev após seu discurso em 1979.

Além do muro de Berlim, Kreuzberg também é famosa por ser um dos bairros onde morou Christiane Vera Felscherinow, mais conhecida como Christiane F. Christiane F. é uma escritora alemã. Seu livro bibliográfico retrata sua vida na cidade de Berlim em torno às drogas, violência e retrata o cenário social do pós-guerra.

É também em Kreuzberg que fica o museu dos Ramones (Ramones Museum). É o maior acervo do Ramones na atualidade. Você pode tomar uma cerveja ou um café no museu sem a necessidade do tour, isto é, a entrada ao acervo você paga a parte. O museu conta a trajetória, e um pouco mais, da história da banda.

Por fim, Kreuzberg é um bairro cheio de particularidades, lojas de estilistas locais alternativos, brechós e lojas de discos de vinil. Caos e cultura underground se misturam nas ruas desse bairro. 

Fotografar a cidade de Berlim (com cuidado)

Se você gosta de fazer fotografia de rua assim como eu, você vai amar Berlim. Entretanto, ao menor sinal de reprovação de alguém quando você estiver com a câmera em mãos, baixe-a, desculpe-se e siga andando. Isso porque os moradores da cidade são muito reservados e não gostam de sair em fotos ou vídeos sem saber, principalmente se forem fotos ou vídeos direcionados às redes sociais.

Arte urbana na cidade de Berlim.
Arte urbana na cidade de Berlim.

A trágica e nunca esquecida história de Berlim 

Enquanto a Alemanha não é só seu passado sombrio, é impossível andar pelas ruas da cidade e não ver, ou sentir, as constantes e propositais lembranças do que foi a maior tragédia da história mundial. Em uma das estações centrais de trem da cidade, a Friedrichstrasse, tem o memorial “Trains do Life, Trains do Death”. Este local era, infelizmente, o ponto principal de onde saíam os trens para os campos de concentração.

Foto de um memorial do Holocausto em Berlim chamado "Trains do Life, Trains do Death", Alemanha.
“Trains do Life, Trains do Death”

Ali por perto no Tiergarten, a apenas 30 minutos caminhando, você também pode visitar a Holocaust Mahnmal in Berlim ou Memorial do Holocausto. O Memorial do Holocausto foi construído em homenagens aos mais de seis milhões de judeus mortos pelo regime nazista. Além deste memorial, também há outros nos entornos para honrar, também, os homossexuais Sinti e Roma, vitimas dessa tragédia.

Infelizmente, vemos por aí os “instagrammers” que insistem em subir nas lápides ou caprichar na pose de yoga entre os caminhos para fotos. Mas lembre-se, além de ser proibido, isso também é desrespeito com a história!

Memorial do Holocausto no Tiergarten na cidade de Berlim.
Memorial do Holocausto, Berlim.

Também próximo ao parque Tiergarten está o Portão de Brandemburgo, um dos muitos cartões postais da cidade e também o prédio do Reichstag (Parlamento alemão), onde é possível subir até a cúpula (com agendamento prévio).

Topografia do Terror

Próximo ao memorial, também há o museu Topografia do Terror. Esse museu era um dos quartéis do exército alemão nazista, da SS, e conta a história de como começou o golpe, propagandas de extermínio e a trajetória toda até chegar onde chegou. É todo um exercício de reflexão e imersão dessa história tão triste.

Algumas pessoas se aventuram a ir mais a fundo e visitar bunkers e até mesmo os campos de concentração, porém, eu particularmente não quis descer tanto e não é preciso esse tipo de turismo para entender a extensão dessa tragédia.

O que fazer de diferente em Berlim?

Às vezes estamos tão preocupados em conhecer os pontos turísticos da cidade, que esquecemos de caminhar, olhar e observar. Como, por exemplo, esse restaurante tradicional chamado Wirtshaus Max u Moritz que, além de ter uma comida deliciosa, produz a sua própria cerveja desde 1902!

Também podemos experimentar um pint no The Brit-Pub, dentro estação de trem S-Bahnhof Hermsdorf (sim um pub na estação) ou até mesmo suas galerias escondidas na Rosenthaler Strasse. Que é onde fica o Café Cinema e o Anne Frank Center. Este é um centro dedicado às memórias de Anne Frank e um reduto cultural marginal com diversos andares de exposições de artistas variados. O prédio por si só já é a tradução da arte urbana. 

Foto da cidade de Berlim.
Foto de um bueiro na cidade.

Outra passeio diferente em Berlim é ir até Zitadelle Spandau, um festival de cultura medieval muito divertido (e vale muito a pena como experiência de vida). A cidadela é um dos mais bem preservados fortes militares europeus da época da Renascença, feito para a proteção de Spandau, hoje parte de Berlim. Essa “medieval fest” chamada Gauklerfest acontece sempre no castelo e tem atrações como banda, show de pirofagia, desempenhos e muito mais.

Como conhecer a cidade de Berlim e toda sua variedade cultural?

É preciso andar bastante e, mais que isso, procurar afinidades com as coisas que você gosta e não somente sobre turismo básico. A cidade de Berlim nos permite isso, e, dessa forma, descobri o Helmut Newton Foundation. Inclusive, você pode usar o seu passe de museus que falei no início do texto!

Explorando a cidade dessa maneira eu assisti a um show incrível da Emma Ruth Rundle no ZUKUNFT am Ostkreuz. Além de casa de shows, tem um bar fora muito gostoso e também a mostra do Dali, um espaço dedicado ao artista com diversas obras originais. 

Parte do acervo de Emma Ruth Rundle em Berlim.
Parte do acervo de Emma Ruth Rundle

Onde fica Berlim no mapa?

A cidade de Berlim fica no leste da Alemanha, dentro de Brandemburgo e é cruzada pelo rio Spree. Sua área urbana tem uma população de cerca de 4,5 milhões e é a segunda mais populosa da Alemanha depois do Ruhr.

A região metropolitana de Berlim conta com três regiões centrais (Zentralörtliche Gliederung), isto é, a própria metrópole de Berlim, quatro centros regionais (Oberzentren) de Potsdam, Cottbus, Brandenburg an der Havel e Frankfurt (Oder), e mais outras 42 cidades.

berlim no mapa
Onde fica Berlim no mapa. Fonte Google Maps.

Onde fica a Alemanha oriental e ocidental (mapa)?

Um dos símbolos mais duradouros vividos da Guerra Fria foi a divisão de Berlim entre a Alemanha Oriental (Berlim oriental) e Alemanha Ocidental (Berlim ocidental). Por isso, não é de impressionar que a cidade tenha vestígios da cultura de cada ideologia até hoje e que muitos visitantes têm a curiosidade de conhecer cada uma delas.

A saber, essa divisão ocorreu em 1945, quando as forças soviéticas ocuparam o leste da Alemanha e os Estados Unidos e outras forças aliadas ocuparam a metade ocidental da nação no final da Segunda Guerra Mundial.

No entanto, com o declínio gradual do poder soviético no final da década de 1980, o Partido Comunista da Alemanha Oriental começou a perder o controle do poder. O que ocorreu foi que dezenas de milhares de alemães orientais começaram a fugir do país e, em 9 de novembro de 1989, resultou na queda do muro de Berlim.

Alemanha oriental e ocidental mapa
Alemanha oriental e Alemanha ocidental mapa.

Por que visitar Berlim?

É provável que os moradores da cidade de Berlim não valorizem a diversidade de atrações e lugares turísticos para visitar. Ou melhor, podem estar mal-acostumados. Entretanto, a cidade de Berlim apresenta inúmeros motivos para fazer uma visita que vão além do famoso muro de Berlim, seja eles por razões históricas, culturais ou de lazer. Isto é, os motivos incluem um acervo cultural e histórico e impressionante, cenário artístico de tirar o fôlego, comida boa, barata e deliciosa, uma vida noturna agitada e arte urbana única.

Em suma, visitar a cidade vai muito além de ver pontos turísticos conhecidos e de entender a sua dura trajetória. Significa, na verdade, um passeio pela história, conhecer uma cidade diversa, vislumbrar as diferenças da Alemanha Ocidental e da Alemanha Oriental (separadas pela guerra fria) e conhecer uma cultura rica e criativa que olha para o futuro sem esquecer o que aconteceu no passado.

Qual o preço do transporte público em Berlim?

Além do passe para os museus, é importante ter o passe de transporte. Na cidade você poderá comprar tanto um bilhete individual por cerca de 2 €, como também um passe combinado. Ambos valem para trens, metrô, ônibus e trólebus. Você poderá comprar o passe de transporte em qualquer máquina de automática nas estações. Sugerimos o que vale por 7 dias, com valor de 30 €.

Qual a melhor época para viajar para Berlim?

A melhor época para visitar Berlim é de maio a setembro, quando o clima e a temperatura são ideais para passear pela cidade, sentar em um café ou descansar no parque. O inverno, por outro lado, é congelante, e as temperaturas tendem a variar de -6 °C a -1 °C.

Quantos dias é o ideal para ficar em Berlim?

Por fim, a dica geral que deixo para conhecer Berlim é reservar ao menos uma semana (melhor duas). Assim, você pode conhecer Berlim sem pressa e aproveitar o melhor da cidade. Ademais, busque com antecedência o que a cidade pode oferecer e dê uma olhadinha no bands in town, pois tem sempre algum show bacana para ver e vale a pena.

Perguntas Frequentes

Como se preparar para visitar Berlim?

Planeje seu tempo e vá com mochila (preparado para passar o dia fora). Se assim como eu você precisa levar a câmera e as lentes, use e abuse da pochete (sendo super seguro e cabe o passaporte, os bilhetes e $$), jaqueta a tiracolo e divirta-se.

Berlim é barato?

Berlim é um dos destinos mais baratos da Europa Ocidental, por isso é um ótimo lugar para viajantes e mochileiros que procuram museus de classe mundial, comida boa e barata e acomodações acessíveis.



Ludimila Russo
Gerente de projetos, 39 anos e fotógrafa por paixão, sempre aparece aqui no De Lugar Nenhum pra abalar com as nossas estruturas.

14 Responses

  1. Tenho muita vontade de visitar Berlim. Adorei ver a cidade pelos seus olhos. Bauhaus fez parte dos meus estudos na Escola de Arquitetura. Pensava uma Alemanha nesses moldes mesmo kkk.

  2. Muito interessante seu post sobre Berlim! Fiquei louca de vontade de conhecer a cidade, que tive que deixar de fora do meu roteiro pela Alemanha em razão da distância. Espero logo poder visitar cada cantinho que você mostrou!

  3. Adorei essas dicas para visitar Berlim. Aliás, essa é uma das cidades que mais tenho vontade de conhecer na Europa!

    Como não terei taaaanto tempo, você acha quem em quatro dias consigo visitar as principais atrações?

    Obrigado!

  4. Estive em Berlim em minha terceira visita à Alemanha. Depois de ter passado uma semana em Nuremberg (primeira vez), duas semanas entre Colonia, Bonn, Düsseldorf e Münster (segunda vez), não esperava que aquela semana em Berlim fosse me emocionar tanto.

    Mexeu comigo essa cidade!

    Ainda não sei explicar as razões disso, salvo que achei essa uma cidade cheia de paradoxos interessantes e atraentes. Ela me desafiou em muitos níveis sensoriais e por isso mesmo, para revê-la, tinha uma volta programada para Maio do ano passado.

    Aí, né?! A tal da pandemia…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.