O que fazer em Napoli? Vista da cidade.

Nápoles é uma cidade ao sul da Itália com ótimas opções de turismo e pontos turísticos. Ainda que seja conhecida como um importante centro de cruzeiros na Europa por seu movimentado porto, a verdade é que a cidade vai muito além. É uma das cidades italianas mais baratas e com boas comidas a bom preço, sendo que a maior parte do que você vai gastar dependerá, sobretudo, de onde você se hospedar. Se acaso você quer conhecer mais sobre esta interessante cidade e saber o que fazer em Nápoles, então veja a seguir as dicas que preparamos para você. Há muita informação bacana, e você vai conhecer todos os passeios na cidade e ver todas as coisas para fazer em Nápoles para incluir no seu roteiro na Itália. Vamos lá?

Nápoles e os lugares turísticos!

Nápoles possui características bastantes peculiares para uma cidade na Europa. Conhecida por suas ruas cheias, barulhentas e caóticas, muitas vezes pode ser difícil encontrar em meio a tanto movimento suas belezas e pontos históricos (que não são poucos!). Saiba que há muito o que ver em Nápoles, sobretudo no seu centro histórico, um patrimônio mundial da UNESCO que remonta ao século 470 A.C. Se você quer conhecer os lugares turísticos de Nápoles, aqui vai uma lista especial que vale pena visitar:

  • Castel dell’Ovo
  • Capella de Sansevero
  • Museu e Real Bosco di Capodimonte
  • Museu Nacional Arqueológico de Nápoles
  • Catacumbas de San Gennaro
  • Palazzo Reale
  • Castel Nuovo
  • Teatro di San Carlo
  • Mosteiro e Museu de San Martino
  • Catedral de Nápoles
  • Galleria Borbonica
  • Complesso Monumentale San Lorenzo Maggiore
  • Santa Chiara
  • Galleria Umberto I
  • Mercado Pignasecca

Castel dell’Ovo

Na baía de Nápoles, bem próximo ao centro histórico, você pode conhecer o famoso Castel dell’Ovo (Castelo do Ovo), ali no final da Via Francesco Caracciolo. Aliás, você saiba que toda a orla, isto é, o Lungomare, é um ótimo local para fazer uma caminhada em um dia de sol com a vista para o porto de Nápoles? Trata-se de 2,4 km de um calçadão que vai da Via Partenpe até a via Francesco Cracciolo no bairro de Chiaia.

A baía de Nápoles é dividida em docas e bacias separadas por uma série de cais e quebra-mares, que está sempre em movimento e repleta de pessoas alegres ao redor. É um local divertido, com belas vistas para o mar mediterrâneo, cafés e sorveterias. Aliás, é possível ver dali o vulcão Vesúvio. É uma caminhada que não pode faltar. Certamente vale a pena!

Castel Dell'Ovo, Nápoles, Itália
Castel Dell’Ovo, Nápoles, Itália

Capella de Sansevero

Elaboradamente construída em estilo barroco pelo excêntrico e místico Raimondo di Sangro — o príncipe de Sansevero — em 1590, impressiona até hoje os seus visitantes.

Das esculturas que possui, destaca-se o etéreo Cristo Velado de Sammartino (1753). Ademais, também chama a atenção outra escultura de mármore de uma figura masculina desenvolvida em uma rede e esculpida com tantos detalhes, que parece impossível ser feita de uma pedra.

As exposições mais incomuns da capela são o par de Máquinas Anatômicas, demonstrando o sistema circulatório e os músculos humanos (construídos sobre esqueletos reais!) usando arame, seda e cera de abelha. Nem precisa dizer que a estranha coleção de Raimondo di Sangro junto aos símbolos maçônicos incorporados à capela deram origem a rumores sombrios sobre ele acerca de experimentos científicos que fazia em seu palácio adjacente.

Rumores a parte, a Capella que fica no centro histórico de Nápoles, na Via De Sanotic 17/21. É uma atração imperdível, um ponto turístico obrigatório e uma das principais coisas para fazer em Nápoles.

Capela Sansevero, Nápoles, Itália
Capela Sansevero, Nápoles, Itália. Foto modificada de David Sivyer (CC BY-SA).

Museu e Real Bosco di Capodimonte

O Museu e Real Bosco di Capodimonte possui a impressionante coleção Farnese herdada pelo Rei Carlos III. Originalmente criado como um pavilhão de caça, passou a ser a própria residência do rei anos depois.

Uma vez no Museu, você verá que a coleção que inclui retratos de membros de famílias governantes bastante completas. Aliás, você sabia que faz parte a base para a Galeria Nacional (Galleria Nazionale), uma das melhores coleções de arte da Itália? São mais de 500 de história que incluem, além dos Ticianos, obras de Mantegna, Caravaggio, Rafael, Botticelli, El Greco, Bellini e artistas napolitanos dos séculos XVII e XVIII.

Outro chamativo para uma visita são os aposentos reais do edifício. Isto é, móveis, tapeçarias e porcelanas usadas durante as dinastias Bourbon e Savoy. E se você gosta de porcelanato, então não deixe de conhecer a Salottino di Porcellana, uma pequena sala completamente forrada por esse material.

Por fim, o museu real conta com um parque. Este parque real era o campo de caça real de rei Carlos III, além de ser local para as oficinas de Capodimonte que produziam cerâmica. Aliás, este incrível trabalho altamente detalhado tornou-se bastante famoso na época e você poderá ver alguns produtos da oficina no convento di Santa Chiara (Santa Clara).

E se você não é muito das artes, saiba que o lindo parque conta com um lago, com altas árvores e estátuas antigas, sendo uma ótima opção para um piquenique. O museu fica na Via Milano, 2.

Real Bosco di Capodimonte, Nápoles, Itália
Museu Real Bosco di Capodimonte, Nápoles, Itália

Museu Nacional Arqueológico de Nápoles

Conhecido mundialmente pela sua incrível e importante coleção de antiguidades, o Museu Arqueológico de Nápoles não pode ficar fora da sua viagem. Aliás, aqui se concentram muitas antiguidades encontradas nas escavações de Pompeia, uma antiga cidade romana.

No entanto, além da sua coleção, o próprio museu arqueológico de Nápoles é uma atração turística. Isso porque além dos tesouros e relíquias dos reis de Nápoles, as coleções Farnese de Roma e Parma, as coleções dos palácios de Portici e Capodimonte, e do material de Herculano e Cumae, você vai encontrar uma arquitetura incrível com um jardim interno.

A distribuição do museu arqueológico é a seguinte. No primeiro piso você encontra muitas esculturas de mármore. É aqui que está a famosa estátua de 3,17 m de altura de Hércules Farnese e o Touro Farnese. Já no mezanino, você encontra uma coleção de mosaicos antigos, como a famosa Batalha de Alexandre da Alexandria.

No primeiro andar você encontra um acervo diversificado como a Farnese Atlas, a escultura de bronze de Pompeia, uma coleção de pinturas, utensílios domésticos de bronze e muito mais. O museu fica na Piazza Museo 19, Nápoles e a visita pode variar de 2 h a 4 h.

Museu Nacional Arqueológico de Nápoles
Museu Arqueológico de Nápoles. Foto modificada de Gary Todd (CC BY-SA)

Catacumbas de San Gennaro

Esse impressionante labirinto subterrâneo, com passagens e câmaras tumulares, são uma das mais ambiciosas construções arquitetônicas do século II. Existes dois andares para conhecer, na parte superior você verá afrescos que datam desde esse século, já na parte inferior tem mais detalhes de sua história. Neste passeio pelas catacumbas de San Gennaro você também pode conhecer a pequena Cripta dos Bispos e a grande basílica subterrânea.

Aliás, essa basílica foi construída perto das catacumbas no século V e, embora tenha sofrido várias alterações desde que foi concretizada, é um raro exemplo da arquitetura cristã primitiva. Mesmo após grandes reformas durante a era aragonesa nos séculos XIV e XV, a sua estrutura básica de três naves e uma abside semicircular permanece intacta.

Catacumbas de San Gennaro, Nápoles, Itália
Vestíbulo inferior datado do século II ao III d.C. Foto modificada de Catacombe di Napoli (CC BY-SA)

Palazzo Reale

O palácio Real de Nápoles fica na parte leste da Piazza del Plebiscito (Praça do Plebiscito). Sua construção começou em 1600 pelo conhecido arquiteto renascentista Domenico Fontana. Alguns anos depois, entre 1837 e 1841, passou por reformas. Na longa fachada você pode ver oito estátuas de mármore dos vários reis que governaram Nápoles.

Uma vez no Palácio Real, há uma grande escada branca de mármore que data de 1651, um teatro e muitos quartos e salas com móveis, tapeçarias, porcelanas e esculturas. É um ótimo lugar para incluir no seu roteiro em Nápoles porque este é um dos pontos turísticos menos visitados, é barato e você pode fazer belas fotos.

Palácio Real na Piazza del Plebiscito, Nápoles
Palácio Real de Nápoles na Piazza del Plebiscito, Nápoles. Foto modificada de pietro scerrato (CC BY).

Ah! E se você tiver um tempinho extra, também aproveite para conhecer o Palazzo Salerno (Palácio Salerno) que fica a apenas 1 minuto caminhando do Palácio Real na mesma Praça do Plebiscito.

Castel Nuovo

Construído por Charles I entre 1279 a 1282, o Castelo Nuovo foi ampliado por Afonso de Aragão entre 1453 e 1467, quando construiu o grande Arco do Triunfo Renascentista na entrada entre as duas torres. É um extenso castelo e rende algumas horas de visita. Fica no lado sul da Piazza del Municipio na Piazza Castello.

Esse castelo foi a residência de reis e vice-reis de Nápoles e a sua história reflete os vários governantes — franceses, aragoneses, espanhóis e austríacos — que tomaram conta dele e fizeram as suas obras e reformas para adequar esse símbolo as tendências do tempo.

Atualmente, parte do castelo é usado para exposições. Geralmente as partes abertas ao público são o Armory Hall (pátio sul), Charles V Hall e Sala della Loggia. Ah! E no pátio você poderá visitar a igreja gótica de Santa Barbara.

Castel Nuovo, Nápoles, Itália
Castelo Nuovo, Nápoles, Itália

Teatro di San Carlo

O Teatro di San Carlo possui interessantes dados. Não só é uma das principais casas de ópera da Itália e um dos maiores teatros da Europa, como também é a casa de ópera continuamente ativa mais antiga do continente. É outra construção feita no período da dinastia Bourbon e fica ao lado do Palácio Real.

Uma vez dentro você vai se impressionar com os ornamentos detalhados e pelo seu tamanho. Afinal, os seis níveis para a plateia super ornamentados que cercam o interior, sem falar do nível real, é fantástico. Além das óperas, o teatro também realiza concertos de balé. Sua excelente acústica é um modelo que é seguido por outras casa de ópera na Europa.

Teatro di San Carlo, Nápoles, Itália.
Teatro di San Carlo, Nápoles, Itália. Foto modificada de Pask00 (CC BY-SA)

Mosteiro e Museu de San Martino

Além do antigo monastério cartuxo de San Martino construído em 1325 e da igreja decorada em mármore, que por suas arquiteturas únicas já vale a pena conhecer, no mosteiro também há o museu Nazionale di San Martino.

A visita aqui está repleta de opções interessantes. Ao entrar você vai se deparar com os dois claustros, isto é, o Chiostro dei Procudatori e o principal. O claustro principal está rodeado por colunas brancas que dão uma sensação confortável e de bem-estar. Na igreja também há afrescos no teto e o museu contem itens de porcelana, uma carruagem do século XVIII do reinado de Carlos III e várias relíquias históricas da cidade de Nápoles e do sul da Itália nos séculos passados.

Outra coisa legal de ver aqui é o famoso presépio de Nápoles, que fica disponível mesmo quando não é Natal. Um exemplo é o Presepe di Cuciniello, uma representação surpreendentemente detalhada da Natividade com animais esculpidos, edifícios e figuras vestidas com trajes de tecido primorosamente ornamentados. Ah! E você ainda desfruta uma vista incrível de Nápoles e sua baía! O Monastério e Museu de San Martino fica no Largo di San Martino 5.

 Museu de San Martino, Nápoles
Museu de San Martino, Nápoles

Catedral de Nápoles

Ainda que a Catedral de Nápoles tenha sido reconstruída consideravelmente em 1456 devido aos terremotos na cidade, os traços arquitetônicos do final do século XIII ainda persistem. E não é só isso que é legal de ver por lá, já que a Catedral tem muitos fatos curiosos.

No corredor sul você pode apreciar a incrível capela do século XVII de San Gennaro, o padroeiro de Nápoles. Em seu altar-mor, um busto de prata contém a caveira do santo, martirizado em 305 no tempo de Diocleciano. E o mais legal? Aqui você poderá ver túmulo do santo no Confessio ricamente decorado.

Já na área arqueológica subterrânea, você pode ver os excelentes afrescos no teto e colunas de um templo romano na Basílica Santa Restituta do século IV, a igreja mais antiga de Nápoles. Por fim, no Palácio do Arcebispo e várias outras igrejas que cercam a catedral (entre elas a gótica Santa Maria Donnaregina), há uma diversidade impressionante de belos afrescos do século XIV do contemporâneo Pietro Cavallini de Giotto.

Ah! E sob a igreja gótica restaurada de San Lorenzo Maggiore há um sítio arqueológico. Aqui você pode ver nitidamente todas as camadas das civilizações que passaram por Nápoles, isto é, a grega, romana, bizantina e medieval. Tudo isso pode ser visto na Via del Duomo.

Catedral de Nápoles
Capela barroca do tesouro de São Genaro na catedral de Nápoles, sec. XVI.

Galleria Borbonica

Já aviso que se você tem medo de passagens subterrâneas esse não é seu lugar. No entanto, saiba que você vai perder uma das mais impressionantes coisas para fazer em Nápoles. A Galleria Borbonica, ou Túnel Bourbon, é um túnel inacabado construído no século XIX por ordem do rei Fernando II para escapar do palácio real para a segurança do quartel militar na atual Via Morelli.

Apesar de não estar concluído (e talvez nunca esteja), os túneis esculpidos serviram mais tarde como abrigo antiaéreo e hospital de emergência durante a Segunda Guerra Mundial. Aliás, há um tour incrível com guia brasileiro que explora alguns deles.

Para conhecer a galeria e ver suas enormes escavações e túneis você precisa fazer um passeio. Nele você entra nas cisternas e passa por uma variedade de relíquias e detritos como, por exemplo, carros antigos, vespas e fragmentos de estatuária e detalhes arquitetônicos. A Galleria fica no Vico del Grottone No. 4.

Cisterna renascentista. Galeria Bourbon, Nápoles
Cisterna renascentista. Galeria Bourbon, Nápoles. Foto modificada de Ruthven (CC BY-SA)

Complesso Monumentale San Lorenzo Maggiore

Uma das mais belas e interessantes igrejas de Nápoles, com toques nítidos da renascença. Foi construída em 1300 e é inteiramente ornamentada, isto é, desde o teto até o solo. A construção é feita de uma forma que destaca o altar Cosimo Fanzago. Fica na Piazza San Domenico Maggiore.

Tem capelas aos lados e todas elas têm algo interessante para mostrar. Se você não está com muito tempo, então conheça pelo menos duas delas, a Capela de San Michele Arcangelo a Morfisa e a Cappellone Crocifisso. A primeira está no final da nave direita e incorpora uma igreja do século X. Já a segunda você pode apreciar a representação de uma crucificação do século XII e o enterro de Cristo do século XV.

Monumentale San Lorenzo Maggiore, Nápoles
Monumentale San Lorenzo Maggiore, Nápoles

Monastério Santa Chiara

Outra construção impressionante e histórica no centro de Nápoles. O Monastério Santa Chiara tem um claustro com azulejos de majólica feitos nas oficinas de Capodimonte que você não pode perder. É um espetáculo de cores vivas e desenhos que cobrem toda a área, bem como suas colunas ortogonais. Isso sem falar das paredes dos quatro lados do claustro cobertas com afrescos do século XVII de cenas do Antigo Testamento.

Você terá uma sensação de conforto e bem-estar ali, e vai se sentir em outro lugar fora de Nápoles. Mas as razões para uma visita não param por aqui, já que há também interessantes resquícios arqueológicos. Alguns exemplos são os restos intactos de um spa termal romano do século I e uma ruína romana no interior.

Nesta ruína você poderá conhecer um presépio com as figuras vestidas com roupas típicas locais dos séculos XVIII e XIX. Se você não sabe o que fazer em Nápoles, então já sabe para onde ir! Fica na Via Santa Chiara, 49/C.

Santa Chiara, Nápoles
Claustros majólicas de Santa Chiara

Galleria Umberto I

Mesmo que você não seja uma pessoa que ama fazer compras no exterior, visitar a popular Galleria Umberto I vale a pena pela sua arquitetura impressionante e seu tamanho. Construída entre 1887 a 1891, foi criada com a ideia de ser um local de compras, negócios, cafés e espaço social. O nome da galería é uma homenagem ao então da época, o rei Humberto I.

Ainda que a Galleria Umberto I não seja mais o centro comercial e social de Nápoles, é um animado ponto turístico para conhecer. Possui quatro alas com abóbadas de ferro e vidro, que valorizam ao centro uma cúpula de vidro. Ademais, possui em seu interior muitas culturas e esculturas. Tudo isso dá um efeito espetacular. Está localizado na Via San Carlo 15.

Galleria Umberto I, Nápoles
A Galleria Umberto I é um mercado público em Nápoles

Mercado Pignasecca

O Mercado Pignasecca é um mercado de rua mais antigo de Nápoles que data de 1500. Está localizado no bairro Espanhol (Quartieri Spagnoli) atrás da movimentada e central Via Toledo.

Neste interessante mercado você poderá admirar uma visão agradável e folclórica da cidade de Nápoles, onde exibe peixes, frutas, legumes, frituras e doces para serem consumidos nas ruas, ladeados por barracas de todos os tipos, com roupas, acessórios e CDs, com preços bem acessíveis.

Via Portamedina, Pignasecca, Napoli.
Via Portamedina (próxima a via Toledo), Pignasecca, Napoli. Foto modificada de IlSistemone (CC BY-SA)

Qual bairro ficar em Nápoles?

Se acaso você visita a cidade pela primeira vez, então o melhor bairro para se hospedar é o Decumani – também chamado de centro histórico de Nápoles. Apesar de parecer um labirinto de ruas estreitas com paralelepípedos e lembrar uma cidade medieval da Europa, saiba que é uma região segura para turistas. Ademais, é um bairro que fica próximo das principais atrações históricas como a Capella Sanservo, a Via San Gregorio Armeno e Duomo di San GennaroIsto.

Outra boa opção para os viajantes é ficar próximo ao Castelo dell’Ovo, ou seja, perto do porto ou próximo a via Toledo. São duas regiões que estão perto do centro histórico de Nápoles e das principais atrações turísticas como a Piazza do Plebiscito e outros museus. Também considere os bairros de Chiaia, Mergellina and Posillipo.

A seguir estão algumas dicas de onde se hospedar em Nápoles:

Evite os bairros de Scampia, San Giovanni a Teduccio, Bairro da Barra, Forcella, Rione Sanità e Quartieri Spagnoli. Esses são bairros conhecidos por serem mais perigosos ou estarem sob influência da máfia italiana.

Nápoles é perigoso?

Como qualquer outra grande cidade turística da Europa, os viajantes devem tomar precauções para cuidar de seus pertences e ter cuidado para não serem enganados por golpes, sobretudo se estiver viajando no verão. A saber, os crimes mais comuns em Nápoles costumam ser apenas pequenos furtos, geralmente em áreas lotadas ou em transporte público (os famosos “pick-pockets”).

Os furtos podem ocorrer até mesmo se você estiver na estação de metrô. Por isso, pode considerar Nápoles como uma cidade segura para fazer um roteiro em Nápoles.

Qual a melhor época para ir a Nápoles?

A melhor época para visitar Nápoles é entre março e abril. Isso por o clima ser ameno e as multidões de turistas não tão densas como na alta temporada. Nápoles também tem alguns grandes eventos culturais em maio.

Ao viajar durante o verão, isto é, entre julho a setembro, você certamente vai encontrar um clima bastante quente e úmido que ajuda nos passeios ao ar livre como praias e parques, mas que pode fazer a sua viagem ser um pouco mais desgastante e cansativa. Ademais, também podem ficar mais cara.

Também considere viajar no fim de setembro a outubro. Você evitará o pior das multidões de verão e o clima ainda estará agradável para explorar a cidade e o sítio arqueológico próximo de Pompeia ou Herculano.

Quantos dias ficar em Nápoles?

Para conhecer as principais atrações turísticas de Nápoles é recomendado ficar, pelo menos, de três a cindo dias. Isso lhe dará tempo suficiente para aproveitar a cidade em um ritmo descontraído e sem pressa. Considerando que existem interessantes atrações em cidades próximas a Nápoles como, por exemplo, Pompeia e Monte Vesúvio, ficar 5 dias é uma boa opção.

A principal razão disso é que se hospedar em Nápoles sai mais barato que ficar nestas cidades. Exemplos são Costa Almafitana ou Sorrento. Fazer uma viagem rápida de Nápoles e alugar um carro pode valer mais a pena.

O que fazer em Nápoles em 3 dias?

Se acaso você vai fazer um roteiro de 3 dias em Nápoles, você ainda pode fazer uma viagem bastante agradável. Obviamente não será possível conhecer todos os incríveis pontos turísticos da cidade, mas nada mais justo que voltar para Nápoles depois para conhecer o que faltou. Se você busca um roteiro de 3 dias em Nápoles, considere essa opção:

  • Dia 1: caminhar pela cidade e conhecer o centro histórico de Nápoles
  • Dia 2: se esbanjar nas famosas pizzas napolitanas e conhecer a catacumba
  • Dia 3: fazer uma viagem rápida até Pompeia

Dia 1: caminhar pela cidade e conhecer o centro histórico

A melhor forma de conhecer Nápoles é, para ser franco, andar pela cidade. Para não perder muito tempo, vale a pena fazer um walking tour grátis com guia turístico. Se acaso você gosta de fazer seu próprio passeio, então uma sugestão é começar pelo centro histórico, pois é onde você encontrará o maior número de pontos turísticos, cafés e restaurantes. Os principais lugares para ir são o Castelo dell’Ovo (Castelo do Ovo)e o Castelo Nuovo, a Praça do Plebiscito, o Palácio Real, o Parque Vergiliano e a Praça Gesù Nuovo.

Saiba que se locomover em Nápoles é bastante fácil. A estação de metrô tem duas linhas e você pode obter um bilhete único por apenas 1,10 €, embora por 3,50 € você possa obter um bilhete válido por um dia e também válido para viagens de ônibus. Este bilhete por dia tem um limite de 150 linhas com as quais pode deslocar-se para qualquer ponto da cidade.

Dia 2: se esbanjar nas famosas pizzas napolitanas e conhecer a catacumba!

Não podemos deixar de comentar sobre comida e também sobre a fama da pizza em Nápoles. A tradição diz que a pizza Margherita foi criada em Nápoles, no final do século XIX, para homenagear a rainha Margaret de Savoy. Inspirados nas cores da bandeira italiana — vermelho, branco e verde — foram escolhidos os principais ingredientes, isto é, tomate, mussarela e manjericão.

Não se deixe confundir pela simplicidade. Se for bem feita e com ingredientes de qualidade, fica uma delícia. Recomendamos as seguintes pizzarias:

  • Da Michele (via Cesare Sersale 1/3)
  • Sorbillo (via dei tribunali 32)
  • Starita (via Materdei 27-28)

Em qualquer uma delas aconselhamos experimentar, além da pizza napolitana, também a pizza de marisco (a outra especialidade da cidade).

Famosa pizza Napolitana
Famosa pizza Napolitana.

É também nesse dia que você vai visitar a catacumba de São Genaro, que datam do século II. São catacumbas extensas e afastadas do centro histórico de Nápoles. Por isso pode tomar um tempo maior para se deslocar até lá. Podemos dizer que exitem “outras Nápoles” nesse local, ou seja, é um vestígio de tempos passados.

As catacumbas de São Genaro foi construída durante as guerras da cidade, onde as pessoas se escondiam — sobretudo os muçulmanos — por até 2 semanas sem nem ver a luz do sol. Eles criaram um sistema de água que funciona até hoje e é lindíssimo.

A associação Napoli Sotterranea organiza visitas guiadas para explorar túneis e galerias da época romana, bem como outros locais utilizados durante a Segunda Guerra Mundial. Já a Catacombe di Napoli organiza passeios para visitar as catacumbas de San Gaudioso, San Gennaro ou San Severo.

Catacumba de San Gennaro, Nápoles
Catacumba de San Gennaro, Nápoles

Dia 3: fazer uma viagem rápida até Pompéia

Situada a 22 km da cidade de Nápoles, você poderá conhecer parte da Roma Antiga (ruínas a céu aberto do império romano). Se você gosta de ficar por dentro dos detalhes históricos e não quer se preocupar com a logística, recomendamos fazer uma visita com guia brasileiro em Nápoles até Pompeia.

A Pompeia era uma cidade da Roma Antiga, enterrada pelas cinzas de uma violenta erupção do vulcão Vesúvio no ano 79 d.C. Depois que a cidade foi soterrada pelas cinzas, Pompeia caiu no esquecimento até ser redescoberta em 1748. Desde então, é uma área arqueológica sem paralelo, já que a trágica erupção capturou o cotidiano da sociedade romana no tempo do século I, proporcionando um testemunho histórico.

O que fazer em Napoli? Visitar Pompeia.
Cidade da Antiga Roma, Pompeia, Itália.

Não só Pompeia, como também outra antiga cidade do império romano enterrada pela mesma erupção do vulcão Vesúvio em 79 d.C. é Herculano. Ainda que menos famosa é, ao mesmo tempo, menos turística, e conta com a vantagem de estar mais próxima da cidade de Nápoles. É uma opção a considerar se tiver pouco tempo na sua viagem.

Para ir a ambas as cidades antigas, você pode pegar o trem com a linha Circumvesuviana, embora um aluguel de carro em Nápoles seja sempre mais confortável se acaso você pode dirigir. Você também pode aproveitar e conhecer Pompeia e Herculano em uma visita com guia brasileiro em Nápoles.

Como fazer uma viagem rápida de Nápoles?

A melhor forma de conhecer as cidades próximas de Nápoles e realizar viagens curtas de 1 dia em transporte público (bate volta). Para isso, basta ir até à estação de trem (Stazione Centrale / Estação central). Aliás, é muito fácil a transferência da estação de Nápoles para Sorrento, Pompéia ou Costa Almafitana, e os valores são bem em conta e podem ser comprados na hora.

Mas atenção, saiba que não há trens diretos até a Costa Almafitana. Você pode, neste caso, pegar um trem até Salerno (cerca de 50 minutos) e depois pegar um ônibus e depois pegar um ônibus até a Costa Amalfitana (cerca de 1 h e 30 min).

A estação de trem é semelhante às principais estações em todas as principais cidades italianas. Além da emissão de bilhetes, há um guarda-volume aberto das 7 h às 2 3h, câmbio e inúmeros cafés, bares e fast food.

Por fim, se você quer realmente conhecer a Itália, os italianos e sua cultura, além da verdadeira pizza italiana, tem que ir a Nápoles. Não só é muito turística, mas também barata, divertida e muito colorida (especialmente a Costa Almafitana). Certamente é um destino interessante para visitar na sua passagem para Itália.

Agora que você conhece as coisas que fazer em Nápoles, que tal dar uma olhada nas principais atrações de Roma ou as melhores hospedagens de Milão?

Perguntas Frequentes

Quais são os bate e volta de Nápoles?

Os seguintes destinos são viagens rápidas de um ou dois dias de Nápoles que valem muito a pena: Pompéia, Monte Vesúvio, Costa Amalfitana, Ilha de Capri e Ilha de Ísquia.

Vale a pena visitar Nápoles?

Esta bela cidade italiana tem impressionantes formas de arte e arquitetura, o que aumenta a beleza e o charme da cidade, além de um acervo histórico riquíssimo, o que a torna uma visita quase obrigatória em sua viagem à Itália.



Robba Caravieri
Aos 40 anos deixei meu país, o Brasil, para descobrir o mundo. Escolhi Barcelona para ser minha casa por enquanto, mas sou De Lugar Nenhum.

4 Responses

  1. Aii que delicia esse seu post. Acabei nao conhecendo Napoli quando estive na Itália mas tenho muita vontade. E assim como você, quero muito comer uma bela pizza na pizzaria do Filme e topo sem problemas esperar na fila hahaha. Adorei suas dicas. Muito obrigada por compartilhar.

  2. hahahaha morri de rir sobre você falando que chegou em Nápoli e lá parecia o centro de São Paulo e que os trens na Itália demoram muito. Tenho muitas experiências nesses trens que passam por lugar nenhum com baldeações infinitas! hahaha Pelo menos a pizza napolitana valeu a pena, né? Deu água na boca!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.