O que visitar no Peru

Há muito o que se ver e o que visitar no Peru. Isso é inegável. O país em todos os assuntos é muito rico culturalmente.

O que mais se fala sobre turismo no país certamente tem relação com história e com gastronomia. Bem como ele realmente é um destino perfeito para quem tem interesse nessas áreas.

Mas também tem bastante o que se ver por lá quando o assunto é arte e muito mais inclusive do que os turistas possam imaginar.

Vamos trazer aqui algumas recomendações de museus e galerias para se visitar na capital Lima. Quer saber o que visitar no Peru com a gente?

Museus no centro de Lima

Como fiquei hospedado bem no centro da cidade, mais precisamente na praça San Martín, decidi passar os primeiros dias explorando exclusivamente essa região.

Convento San Francisco

O primeiro destino foi o Convento San Francisco, onde a visita guiada foi uma grande aula sobre a arquitetura, as obras de arte, os objetos e as indumentárias ali em exibição. A parte mais interessante do tour, pelo menos para mim, foi a visita às catacumbas, com ossos e crânios dispostos de maneira quase decorativa.

Calcula-se que ali estão os restos mortais de mais de 25 mil pessoas!

Saindo de lá, aproveitei para provar o churro peruano. Não tem uma enorme diferença dos churros que encontramos pelo Brasil, a não ser pelo formato. Escolhi o recheado de creme de confeiteiro e estava excelente.
Almocei num dos restaurantes da praça San Martín. São uma ótima opção para quem quer gastar bem pouco. Uma entrada pequena de ceviche, um prato bem servido de espaguete ao pesto com peito de frango grelhado e um suco saíram por 12 soles. Estava tudo ok, nada muito digno de nota. Mas o preço vale muito.

  • Onde fica? O convento se encontra na Plazuela San Francisco. e pode ser visitado todos os dias, das 9h às 17h30. A entrada custa 15 soles.

Parque de la Exposición

Em seguida, caminhei até o charmoso Parque de la Exposición, onde fica o Mali – Museo de Arte de Lima.

A parte de baixo do museu abriga exposições de arte contemporânea, enquanto o segundo andar conta com uma grande exposição que vai de artefatos de civilizações pré-Inca até o modernismo produzido no país.

Algumas salas desse segundo pavimento trazem trabalhos contemporâneos que promovem um diálogo muito rico com a história peruana.

  • Como chegar? O Mali fica no Paseo Colón, 125, e o ingresso sai por 30 soles. O museu funciona de segunda a domingo, em dois turnos: das 10h30 às 13h e das 14h às 18h (aos sábados, até as 17h).

Centro Cultural Inca Garcilaso

No dia seguinte, dei mais uma volta pelo centro, com direito a uma ligeira passada pela Chinatown limenha, com lojinhas e restaurantes chineses ao longo de um pequeno quarteirão.

o que visitar no peru
Centro Cultural Inca Garcilaso

Próximo dali, visitei o Centro Cultural Inca Garcilaso, onde estavam em cartaz algumas exposições, das quais destaco a da escultora Silvia Westphalen, cujas obras em pedra investigam ações naturais, como a erosão pela água e pelo vento.

  • Fica em: O Inca Garcilaso fica no Jirón Ucayali, 391, e funciona de terça a sexta, das 10h às 20h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h. A entrada gratuita.

Museus do Bairro do Barranco

Logo depois, com o roteiro de artes do centro devidamente desbravado, passei para os distritos mais afastados. O primeiro deles foi Barranco. Infelizmente, esse tour começou com uma frustração.

O museu MATE, dedicado ao célebre fotógrafo peruano de moda Mario Testino, estava fechado por conta da covid-19.

Galeria Wu

Sendo assim, me dirigi para a Galeria Wu, que é uma galeria de arte misturada com loja de roupas e decoração, tudo muito descolado.

Galeria Wu

Enfim, deu pra notar que existe uma curadoria das marcas que têm produtos à venda ali. Não é, por exemplo, o tipo de lugar com o qual eu me identifico, devo dizer. Mas reconheço que tem seu público. Nas paredes da área externa, trabalhos da Silvia Westphalen.

Ela, mais uma vez. Também me encantei ali por trabalhos da artista Ana Teresa Barboza, com composições feitas em tecidos e tramas.

  • Wu Galeria: está aberta de segunda a sábado, das 10h às 19h, com entrada franca. Endereço: Jirón Sáenz Peña, 129.


Dédalo

Logo ao lado, dei uma passada rápida na Dédalo, que também mistura galeria, loja de artesanato e um aconchegante café na parte de trás.

o que visitar no Peru
Arte no Dédalo, em Lima

Bem como, a exposição em cartaz no momento era a de Alejandra Ortiz de Zevallos, com interessantes obras produzidas a partir de fibras orgânicas e recicladas.

  • Dédalo Arte y Artesania: fica no Jirón Sáenz Peña, 295, funciona de segunda a sábado, das 10h às 20h (às quintas as portas se fecham às 19h20). Entrada gratuita. O que visitar no Peru.

Livia Benavides. O que visitar no Peru,

Mais uma pequena caminhada e cheguei à 80m2, a Livia Benavides, galeria que fica num belíssimo casarão de frente para o Pacífico.

Galeria Livia Benavides

Só pela localização e pela construção já valeria a visita, mas as salas ainda abrigavam exposições individuais das quais gostei muito:

  • Armando Andrade Tudela
  • Iosu Aramburu
  • ilda Mantilla
  • Elena Tejada-Herrera

Sendo assim, elegi essa a melhor galeria que visitei em toda a viagem.

  • Como chegar: Ela funciona de terça a sexta, das 11h às 19h, e aos sábados, das 10h30 às 18h30. A entrada também é gratuita.


Museu de Arte Contemporânea

Logo depois, para encerrar o roteiro das artes de Barranco, fui até o Museu de Arte Contemporânea, que exibia em uma de suas salas obras de Fernando de Szyszlo, pintor limenho falecido em 2017 e que foi um dos maiores expoentes do abstracionismo latino-americano.

o que visitar no peru
Museu de Arte Contemporânea

A sala maior, por sua vez, trazia uma enorme exposição de arte popular.

  • O MAC Lima fica na Avenida Grau, 1511, e pode ser visitado de terça a sexta, das 15h às 19h, e aos sábados e domingos, das 10h às 14h e das 15h às 19h. Os ingressos saem por 12 soles.

San Isidro

O próximo distrito visitado foi o de San Isidro,um dos quarenta e três distritos que formam a Província de Lima, pertencente a Região Lima, na zona central do Peru. É um bairro onde os turistas costumam ficar, assim como, Miraflores. Mais um da lista de o que visitar no Peru.

Casa Marina Nuñez

Comecei pela Casa Marina Nuñez del Prado, que um dia foi a residência e oficina da artista que dá nome ao que hoje é um simpático museu dedicado a sua trajetória.

Casa Marina Nuñez
  • Endereço: Calle Ántero Aspíllaga, 300.Fica aberto de segunda a sexta, das 9h às 16h, e aos sábados, das 9h às 13h, com entrada franca.

La Galería

As cores do La Galeria

Logo depois, ali pertinho ainda passei pela La Galería. Achei o nome curioso, bem pouco modesto. A exposição em cartaz ali era do pintor contemporâneo limenho Nader Barhumi,

Por lá, muitos trabalhos bem coloridos e repletos de elementos variados, como, por exemplo, números, figuras e padrões.

  • La Galería fica na Calle Conde de la Monclova, 255, e está aberta de segunda a sexta, das 11h às 19h, e aos sábados, das 16h às 19h. Entrada franca.

Miraflores

De San Isidro, fui caminhando até o distrito vizinho de Miraflores. Bem como, esse é o bairro mais visitado pelos turistas que visitam Lima, é super agradável e dá caminho ao mar. Vale muito a pena conhecer.

O plano era começar o tour ali pela galeria Ginsberg, mas a mesma se encontrava fechada para a montagem de uma nova exposição

Galeria Impakto

Sendo assim, rumei, então, para a galeria Impakto, que exibia a coletiva “Absence makes the days grow longer”.

A exposição apresentava um amontoado de trabalhos de artistas representados pela galeria, muitos até bem interessantes, mas numa montagem que pareceu totalmente aleatória.

  • Impakto fica na Av. Sta. Cruz, 857, e funciona 24 horas de segunda a sexta, com entrada gratuita.

LUM – Lugar de la Memoria, la Tolerancia y la Inclusión Social

Aproveitei o que me restava de energia e dei uma boa pernada até o LUM – Lugar de la Memoria, la Tolerancia y la Inclusión Social.

Lugar de la Memoria, la Tolerancia y la Inclusión Social

Então, o museu fica num prédio muito bonito, com uma excelente vista para o Pacífico, e trata do período conturbado e violento vivido no Peru entre os anos de 1980 e 2000, quando atuaram no país os grupos Sendero Luminoso e Túpac Amaru.

Ainda assim, o LUM exibe fotos, pertences de pessoas aparecidas ou assassinadas, depoimentos em vídeo e reportagens, além de exposições artísticas que trazem algum tipo de conexão com o assunto abordado no espaço.

  • LUM funciona de terça a domingo, das 10h às 18h, e a entrada é franca. Endereço: Bajada San Martín, 151.

Esse foi o meu roteiro pelos museus e galerias de Lima e o que visitar no Peru. E ainda ficou muita coisa de fora, acredite.

Então, se você gosta de visitar exposições, a capital peruana oferece muita coisa legal. Dá pra gastar bastante as solas dos seus tênis por lá, pode crer.



Bruno Palma
Formado em jornalismo, tem entre seus hobbies, a música, viagens e gastronomia (com mais enfoque em street food e lançamentos inusitados da indústria alimentícia). Também é bastante chegado em museus e galerias de arte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.