como se mudar para o japão - de lugar nenhum

Se você quer saber como se mudar para o Japão, o país do sol nascente é um grande atrativo para muitas pessoas devido à segurança, educação e dos salários.

Diferentemente do Brasil, no Japão com certa facilidade você consegue achar trabalhos de meio período, tanto que é comum, estudantes trabalhando em lojas de conveniência, bares ou mesmo em fábricas.

Quanto maior é o seu nível de fluência no japonês, melhores são as possibilidades de encontrar trabalhos mais leves e que pagam muito mais.

Para morar no país, por exemplo, é necessário ter um visto e dependendo do tipo você poderá desempenhar apenas determinado tipo de trabalho.

Neste artigo vamos te apresentar alguns dos vistos mais comuns, dicas de onde viver e te ajudar na escolha do que mais se encaixa nos seus objetivos.

Confira a seguir como tirar visto e como se mudar para o Japão!

1. Visto para o Japão de Estudante

Este visto para o Japão é para todas as pessoas que ficam mais de 90 dias no país e pretendem fazer ensino fundamental, ensino médio, graduação, pós-graduação, técnico ou alguma especialização.

Todo ano o governo japonês disponibiliza não apenas no Brasil, mas no mundo todo bolsas de estudos para as mais diversas áreas. Muitas delas nem são preenchidas pela falta de procura ou pelos candidatos não suprirem os requisitos.

2. Visto para descendentes de japoneses

Em seguida, esse é um visto para pessoas que descendem até a 4ª geração, porém com ressalvas.

Cada geração é um nível diferente de documentação que são solicitados. Assim como a rapidez que o visto será processado no consulado ou embaixada.

Diferentemente da 2ª (nissei) e da 3ª geração (sansei), as pessoas da 4ª geração (yonsei) tem que cumprir vários requisitos, anexando proficiência em língua japonesa básica-intermediária e terão que cumprir certas exigências especiais durante a permanência temporária no Japão.

A cidade de Kyoto, no Japão

3. Skilled Worker (SW)

O Skilled Work, é o “Visto para trabalhadores especializados” e você não precisa ter descendentes japoneses. É um visto de média permanência. 

É um dos mais comuns, e foram feitos para profissionais que tenham certa experiência em determinado setor e exige um nível de japonês básico. 

Algumas das profissões mais abrangidas neste tipo de visto são a de helper para idosos e pessoas com autismo, trabalhadores de fábrica e cozinheiros.

4. Visto de cônjuge e filho de japonês

Logo depois, o visto para o Japão para pessoas casadas com japoneses ou são filhos de japoneses.

Ele tem a duração de 3 anos e pode ser renovado.

Entretanto, com 3 anos de permanência no Japão e pagando todos os tributos e impostos é possível tirar o visto permanente e logo depois a cidadania.

5. Highly Skilled Professional (HSP)

É o “Visto para profissional altamente qualificado”.

Destinado para especialistas, cientistas, profissionais de cargo de chefia ou gerência que não tenham descendência japonesa.

Não é um visto fácil de obter, porque funciona com um sistema de pontuação e permite que a pessoa consiga levar o cônjuge, os filhos e os pais.

6. Specified Skilled Worker (SSW)

Em tradução, “Visto para trabalhadores com habilidades específicas”. É uma das maneiras de como se mudar para o Japão.

É um novo tipo de permissão criado pelo governo japonês para suprir as áreas onde há escassez de mão de obra, como, por exemplo:

  • Enfermagem
  • Em seguida, a agricultura
  • Logo depois, construção
  • Bem como, a área de limpeza e outras tantas áreas.

Entretanto, até o ano passado (2021) ainda este tipo de visto não estava em vigor no Brasil.

Como é viver no Japão?

Apesar de tudo parecer um sonho, no Japão todos trabalham muito, não existem férias (apenas descansos coletivos que não ultrapassam 10 dias). Dependendo do seu trabalho serão mais de 8 horas por dia de segunda a sábado.

O território japonês conta com altas taxas tributárias, e quanto mais você trabalha mais eles descontarão do seu salário. Além disso, há também os impostos que tendem a vir mais caros de acordo com a sua renda anual.

Mesmo com esses detalhes pouco atrativos, o Japão ainda é um país onde se você trabalhar consegue comprar de tudo, tem ótimos roteiros de passeio, o sistema de saúde é ótimo, ou seja, você tem segurança para deixar até o seu filho andar sozinho por aí e tende a ser um ótimo país para se ganhar dinheiro e investir em outros países.

Que região escolher para morar?

Isso vai depender muito do tipo de trabalho que você quer realizar no Japão e os seus objetivos. O Japão tem cidades incríveis para conhecer.

Em cidades maiores como Tóquio, Osaka, Fukuoka e Hyogo, conhecidas por serem mais ricas, porém, o custo de vida é mais elevado. 

Apesar disso, como são áreas com grande contingente de estrangeiros talvez seja interessante para diminuir o choque cultural inicial.

Bem como, no caso de áreas rurais, é aconselhável se preparar psicologicamente porque não há variedade de comidas estrangeiras como estamos acostumados. Às vezes os mercados e lojas também ficam longe das casas e a locomoção efetiva dependerá da compra de um automóvel.   

Gostou das nossas dicas sobre como se mudar para o Japão? Deixe o seu comentário e clique aqui para tirar o seu visto japonês!



Robba Caravieri
Aos 40 anos deixei meu país, o Brasil, para descobrir o mundo.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.