voluntariado no exterior - de lugar nenhum

Já pensou fazer voluntariado no exterior, poder dar apoio e suporte a mulheres, crianças, animais e famílias refugiadas em locais como a Tailândia, Etiópia e África?

Atualmente, o voluntariado no exterior torna essa experiência possível, assim como outros diversos trabalhos voluntários. 

Sendo assim, o voluntariado no exterior não é nada mais do que fazer uma viagem para outro país, com o intuito de oferecer ajuda aos mais diversos casos. Lembrando que existem os mais diversos tipos de trabalhos voluntários.

Enfim, acompanhe o artigo até o final, e entenda um pouco mais sobre essa área que está crescendo cada vez mais.

Os tipos de voluntariado no exterior

De modo geral, todos os trabalhos voluntários que exercemos no exterior, são em favor dos animais, da comunidade e das crianças. Há uma grande variedade de opções.

Você pode conciliar seu trabalho como nômade digital, ou fazendo um ano sabático, com um voluntariado. Veja abaixo os de maior destaque:

  • Auxiliar a preservar plantações;
  • Dar suporte no aprendizado das crianças;
  • Oferece atendimento odontológico ou médico para as comunidades carentes;
  • Preservar a biodiversidade;
  • Ajudar a recuperar a infraestrutura de ambientes;
  • Cuidar dos animais;
  • Oferecer carinho e afeto para as pessoas que se encontram em vulnerabilidade.

Como conseguir um voluntariado no exterior

Geralmente, basta ter vontade, saber falar algum outro idioma e um pouco de dinheiro para arcar com os custos da sua viagem, podem ser o suficiente. Mas é lógico que você não pode se esquecer dos seus vistos, documentos de viagem e de vacinas.

Além disso, existem também alguns programas que exigem alguma experiência na área ou formação. Isso no caso de médicos, especialistas em saneamento, construtores, entre outros. 

Abaixo, você encontrará algumas das opções de programas de voluntariado, acompanhe:

AIESEC

A AIESEC é uma entidade que não conta com fins lucrativos. Ela oferece intercâmbio voluntário de forma gratuita ou com ajuda de custo. 

Mas para você conseguir fazer parte do Programa Voluntário Global, você deve ter de 18 a 30 anos. Além disso, também deve estar matriculado em algum curso superior, ou já ter se formado há dois anos, no máximo.

Participando do programa, você atuará em uma ONG que é vinculada com a AIESEC. Para isso, basta procurar a AIESEC da sua região, ou fazer o seu cadastro na ONG e esperar pelo contato.

Worldpackers

A Worldpackers é uma comunidade que conecta voluntários com anfitriões em todo o mundo. Mas cada anfitrião irá exigir a sua ajuda por um determinado número de horas semanalmente.

Escola em Wakiso, Uganda

Para se aplicar às vagas, você tem apenas que verificar quais são os requisitos necessários e enviar uma mensagem bem atraente ao anfitrião, dizendo o que fez você se interessar pela vaga.

Workaway

Em seguida, com a Workaway, você encontrará mais de 50.000 possibilidades de anfitriões, em mais de 170 países espalhados pelo mundo todo. Mas, para isso, basta que você crie um perfil no site da Workaway, que será verificado em 24 horas.

Depois da verificação, você poderá entrar em contato com os anfitriões que mais lhe chamaram a atenção, tirar suas dúvidas sobre a sua hospedagem, e ainda ver o que eles desejam em troca.

WWOOF – Voluntariado no exterior

Mais uma opção de voluntariado no exterior. Esse movimento mundial tem como objetivo, conectar agricultores orgânicos a visitantes, Worldwide Opportunities on Organic Farms. 

Sendo um WWOOFer, você vai participar da rotina do seu hospedeiro, ajudando-o na fazenda, além de experimentar uma cultura nova. Além disso, também irá aprender sobre a sustentabilidade e conhecerá pessoas novas.

Aliás, vale lembrar que, durante a sua estadia, você terá alimentação e hospedagem gratuitos. 

Para isso, basta acessar o site do WWOOF e selecionar o país que é do seu interesse. Isso porque o movimento é organizado nacionalmente.

House Sitting

Logo depois, o sistema de House Sitting nada mais é, do que um acerto entre viajante e proprietário da casa, no qual o proprietário irá confiar nos cuidados do viajante (house sittings) que, em troca, terá estadia de graça, para apenas cuidar da casa enquanto o dono estiver em viagem. 

Mas o house sitting terá que atender as tarefas domésticas, sem deixar que estranhos entrem na casa. Assim como ainda terá que cuidar dos pets dos donos, se for o caso.



Robba Caravieri
Aos 40 anos deixei meu país, o Brasil, para descobrir o mundo. Escolhi Barcelona para ser minha casa por enquanto, mas sou De Lugar Nenhum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.