Roteiro pelo Egito

Se você está planejando um roteiro de viagem pelo Egito e quer inspirações ou ideias, então veja as informações interessantes que preparamos para você!

São dicas de viagem com os pontos turísticos e as cidades do país que não podem faltar no seu passeio, um roteiro pronto ou sugestões de como montar um roteiro para o Egito você mesmo.

Além disso, comentamos qual a época mais barata para visitar o Egito, se é um país seguro, quantos dias ficar e porque conhecer o país. Então, vamos ver juntos tudo sobre o Egito?

Uma proposta de roteiro de turismo para o Egito de 10 dias!

Um roteiro de turismo para o Egito básico incluí as cidades que preservam o lado histórico, mas que não deixam de impressionar por sua beleza e estrutura (alguns exemplos são Cairo, Luxor, Kom Ombo, Assuã e Alexandria). Isso porque durante a viagem nestas cidades, você não só conhecerá os sítios arqueológicos e a grandeza dos templos, monumentos, túmulos e artefatos remanescentes da antiga civilização egípcia, mas também a cultura atual e os principais costumes desse povo.

Vale lembrar que além das principais cidades e atrações turísticas, existem algumas joias escondidas no Egito que são pouco conhecidas e que muitos viajantes deixam de lado. Essas atrações podem fazer a sua viagem para o Egito ficar ainda mais incrível…

Mas não se preocupe, porque falamos delas a seguir em nossa sugestão de roteiro. E o melhor de tudo? Você pode fazer os passeios com guia em português (todos os passeios nessa seção)! Se acaso você quer viajar por conta, explicamos aqui como se locomover no Egito.


O seu roteiro de viagem pelo Egito será:

  • Dia 1: Fazer uma excursão do Cairo até Alexandria
  • Dia 2: Visitar as Pirâmides de Gizé e Esfinge e caminhar pela zona medieval de Cairo
  • Dia 3: Visitar a Cidadela de Saladino e Mesquita Alabastro (centro de Cairo) e Bairro Copta
  • Dia 4: Viagem até Assuã e visita ao Templo Philae
  • Dia 5: Conhecer Abu Simbel e relaxar em frente ao lago Nasser
  • Dia 6: Visitar o Templo de Kom Ombo e o Templo de Edfu
  • Dia 7: Viagem até Luxor para conhecer o Templo de Karnak e Vale dos Reis
  • Dia 8: Ainda em Luxor, conhecer mais da Antiga Tebas e Templo de Luxor
  • Dia 9: Viagem até Hurghada para desfrutar o Mar Vermelho
  • Dia 10: Volta até Cairo para fazer uma excursão em Port Said

Se acaso você acha essa ideia interessante, veja estas opções de pacote de viagem para o Egito:

Dia 1: Fazer uma excursão do Cairo até a cidade de Alexandria

Visitar Alexandria no Egito significa, de fato, uma imersão na história antiga. Os museus, ruínas e locais históricos dão um vislumbre do Egito faraônico com o qual a maioria das pessoas imagina. Ademais, também mostram o Egito da era romana, grega e ptolomaica de maneira muito prática, isto é, nos dá uma ideia concreta de como era o Egito na época e toda a sua história.

Aliás, essa impressionante cidade, fundada em 331 AC por Alexandre, o Grande, ainda resiste imponente aos dias atuais. Nesta cidade, você poderá ver como misturam as culturas helenística, romana e egípcia. É um passeio muitas vezes esquecido por turistas casuais, mas que vale muito a pena.

Visite o forte da Cidadela Qaitbay (mesmo local em que se encontrava o lendário Farol de Alexandria), as Catacumbas de Kom el Shoqafa (túneis e galerias de uma antiga necrópole Romana), a zona arqueológica de Alexandria e a Nova Biblioteca de Alexandria.

A cidade de Alexandria fica a 218 km de Cairo, cerca de 3 h em carro ou 6 h e 30 m se você decidir usar transporte público (as linhas CTA 1024, 1026, 1137 chegam até lá). Vale a pena alugar um carro, chamar um Uber, ou táxi (não é caro apesar da distância). A melhor opção, todavia, é realizar uma excursão até Alexandria com guia em português.

A Biblioteca de Alexandria é bastante famosa por ser a sexta maior biblioteca francófona do mundo. A sala de leitura principal abrange 20.000 metros quadrados (220.000 pés quadrados). Ademais, a biblioteca é trilíngue, pois contém livros em árabe, inglês e francês e detém o maior depósito de livros franceses no norte da África e no Oriente Médio.
Biblioteca de Alexandria, Egito

Dia 2: Visitar as Pirâmides de Gizé e Esfinge e caminhar pela zona medieval de Cairo

A primeira parte desse dia começará com a visita às três pirâmides de Gizé mais importantes: Quéops, Quéfren e Miquerinos. Aliás, devido ao seu legado histórico, a área das Pirâmides de Gizé (a Dahshur), Memphis e sua necrópole foram declaradas como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1979. Por isso, prepare-se para se surpreender aqui.

As Pirâmides de Gizé são um conjunto de Pirâmides que representam uma Necrópole, isto é, cada pirâmide é dedicada a um faraó que mandou construí-la, para que fosse enterrado nela. Aliás, os detalhes do sítio arqueológico são muitos e tão ricos, que entre as antigas estátuas e tumbas egípcias, restos da antiga civilização egípcia continuam a ser descobertos até hoje! Nem precisa dizer que atraem a atenção dos principais arqueólogos do mundo.

Este conjunto é o único das 7 maravilhas antigas que ainda está de pé. Não é necessário guia para visitar a região, mas vale a pena se você quer ficar por dentro de todos os detalhes e curiosidades sobre as Pirâmides de Gizé. Ficam a cerca de 20 km do Cairo, na cidade de Gizé e é fácil chegar até la.

A segunda parte do passeio será caminhar pela Antiga Cairo e suas estreitas ruas de pedra dourada. É mais um Patrimônio Mundial que cativam os visitantes há séculos, e que abrigam magníficas mesquitas, madrassas, hammams e fontes.

É interessante como a zona medieval é movimentada, até um pouco caótica, mas super charmosa com suas lojas, restaurantes e pessoas. Visite o mercado de Khan el Khalili, o Museu do Cairo e o Café dos Espelhos, que fica na zona do El-Khalili Bazaar (servem um ótimo chá de menta com folhas frescas).

El Fishawi, conhecido como café dos espelhos.
El Fishawi, conhecido como café dos espelhos. Tradicional casa de chá na Cairo antiga. Foto modificada de Francesco Gasparetti (CC B.Y)

Dia 3: Visitar a Cidadela de Saladino, Mesquita Alabastro e Bairro Copta no centro de Cairo

O centro histórico de Cairo oferece um conjunto de mesquitas e palácios medievais bem preservados. Durante o dia, vale a pena se perder nas ruas estreitas que compõem um importante centro de encontro e lazer para moradores e turistas. Também é perfeito para fugir do trânsito estressante da cidade, já que é aberta aos pedestres.

Vá até à Cidadela de Saladino, fortaleza de Cairo cuja origem se encontra no século XII, construída para proteção contra os cruzados europeus. Não só é a maior cidadela do mundo islâmico, mas também foi epicentro do governo do Egito por quase 700 anos, dos séculos XII ao XIX.

Na cidadela, caminhe até a Mesquita de Alabastro, conhecida assim pelo material que a cobre tanto por dentro como por fora. A mesquita foi construída entre 1830 e 1857 e encomendada por Muhammad Ali em memória de seu filho mais velho, que morreu em 1816. A mesquita foi construída no modelo das mesquitas otomanas, com uma planta retangular coberta por uma cúpula central e várias semi-cúpulas emolduradas por dois delicados minaretes.

Após conhecer a Cidadela de Saladino, pegue um ônibus até o Bairro Copta (linhas CTA 83, CTA 701-1037 ou Minibus 45). O Bairro Copta (Qasr al-Sham) é o lugar onde os egípcios cristãos vivem. Embora “copta” originalmente se referia a todos os habitantes do Egito, quando Copta foi conquistada pelos árabes o termo foi usado para descrever aos cristãos da região e, por isso, é assim conhecido até hoje.

É um bairro histórico e religioso, já que segundo o Novo Testamento é a área onde a família de Jesus viveu. Visite a Fortaleza da Babilônia (criada 100 anos antes do nascimento de Jesus), a Igreja Suspensa (Al-Muallaqa) e coma no Resturant & Cafe Al Khan.

Igreja Suspensa, Al-Muallaqa, Bairro Copto
Igreja Suspensa, construída em cima das ruínas da Torre de Babilônia.

Dia 4: Viagem até Assuã e visita ao Templo Philae

Localizada a 899 km ao sul do Cairo, Assuã é um fotogênico destino do Vale do Nilo. Aliás, talvez seja o lugar onde o rio Nilo se apresenta mais majestoso, com as suas águas fluindo por rochas de granito e ilhas redondas de esmeralda cobertas de palmeiras e plantas tropicais.

A viagem de Cairo até Assuã deve ser feita em avião, os preços da passagem variam entre R$ 500 a R$ 600, mas é uma viagem rápida (bate volta) de 1 h e 25 min. Saindo do Aeroporto internacional de Aswan (ASW), vale a pena contratar um transfer ou pegar um táxi até sua hospedagem, o trajeto dura certa de 45 min. O transfer do aeroporto de Assuã sai em torno de R$ 92 para três pessoas.

Uma vez em Assuã, a sua visita deve ser o Templo de Philae e o Obelisco Inacabado. Philae é uma bela ilha de meros 450 m de comprimento e menos de 150 m de largura perto da primeira catarata do rio Nilo. Hoje, faz parte da represa de Assuã que deságua no lago Nasser. Você não precisa de um guia para ver o Templo de Philae, mas certifique-se do preço antes de embarcar para a ilha.

No templo você conhece o que era o centro de cultos dedicado à deusa Ísis e detalhes históricos de um dos 4 lugares em que aconteceu a lenda de Ísis, Osíris e Hórus. Os monumentos de Philae abrangem quatro épocas principais: a última parte da era faraônica, o período ptolomaico, a época romana e o período cristão. Os principais monumentos são o Templo de Ísis e seu filho Hórus (Harendotus), o belo Arco de Adriano, o Templo de Hathor e o Quiosque, também conhecido como Cama do Faraó.

Templo de Philae, Egito
Templo de Philae, conhecido como a Joia do Nilo

Dia 5: Conhecer Abu Simbel e relaxar em frente ao lago Nasser

Às margens do Lago Nasser está um dos monumentos mais marcantes do Egito: os templos gêmeos de Abu Simbel escavados na rocha. Construídos por Ramsés II há mais de 3.000 anos, esses templos resistem fortemente ao tempo. A história por trás de Abu Simbel torna-se ainda mais fascinante quando você descobre que todo o complexo foi desmontado e transferido para um terreno mais alto após a construção da Represa Alta de Assuã.

O templo fica a 300 km ao sul de Assuã, em uma região chamada Núbia (uma grande região ao longo do rio Nilo, do sul do Egito ao norte do Sudão). Por isso, planeje uma viagem de um dia de Assuã. Como todos os passeios do Egito, você não precisa de guia, mas nesse vale a pena uma excursão até Abu Simbel.

O estado de conservação dos templos é excelente e você pode conhecer boa parte da história de cada um deles (que estiveram enterrados sob a areia até o século XIX). Logo na entrada os Colossos de Ramsés II (Os Guardas do Templo Interior) já chamam a atenção. Mas é só o começo, porque ao entrar no Salão Hipostilo (O Templo Interior), no Vestíbulo, na Câmara Transversal e no Santuário (Casa dos Deuses) você entenderá realmente o impressionante templo que visita.

O Grande Templo de Abu Simbel é dedicado aos deuses Amon-Ra, Ra-Harakhti e Ptah, mas também foi erguido para demonstrar o poder do império egípcio e a eterna glorificação de Ramsés II. Já o Pequeno Templo é dedicado à Rainha Nefertari, esposa favorita de Ramsés II.

Se está fazendo essa viagem por conta, escolha uma hospedagem com café da manhã com vista para o Lago Nasser e relaxe após a caminhada. Os melhores hotéis de Abu Simbel são:

Abu Simbel, Egito
O magnífico monumento Abu Simbel

Dia 6: Visitar o Templo de Kom Ombo e o Templo de Edfu

Tome um bom café da manhã faça uma viagem até Kom Ombo. Kom Ombo fica a cerca de 40 km de Assuã, ou seja, em 1 h de carro você chega até o local para conhecer seu impressionante templo.

De todos os templos faraônicos egípcios, quiçá nenhum tem um cenário tão impressionante como o Templo de Kom Ombo. É um templo ptolomaicos, isto é, construído no século II AC, e o único templo no Egito que homenageia dois deuses — o deus crocodilo Sobek e o deus Haroeris (Hórus, o Velho). Este incomum templo duplo é tão fascinante que foi reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Já na entrada, o Pilão de Kom Ombo chamará a sua atenção ao lado da parede com texto hieroglífico de 52 linhas e esculturas aos deuses Sobek, Hathor e Khons. Mas a visita fica mais legal quando você entra no pátio (Pátio de Sobek e Haroeris) e segue pelo vestíbulo, salão hipostilo, antecâmaras, santuário (Domínio de Sobek e Haroeris) e demais passagens.

Após visitá-lo, dirija-se até o templo de Edfu. Fica a cerca de 1 h e 30 min de carro, a 65 km de Kom Ombo. O templo de Edfu é interessante porque foi construído durante o período greco-romano, de 237 a 57 AC. Os construtores foram tão meticulosos, que preservaram a forma dos verdadeiros faraós do Egito. O resultado? É uma visita que permite ver como os outros templos ao redor do Egito seriam se tivessem sido construídos 2.000 anos depois.

É um templo completo, inclui um pilão construído pelo pai de Cleópatra no século I AC que leva a um pátio peristilo e a um salão hipostilo que precede o santuário de Hórus. O Templo de Hórus, em Edfu é o exemplo completo desse estilo arquitetônico.

Templo de Edfu, Egito
Templo de Edfu

Dia 7: Viagem até Luxor para conhecer o Templo de Karnak e Vale dos Reis

Luxor fica no Vale do Nilo em uma região chamada Alto Egito. Certamente não pode ficar fora do seu roteiro de viagem pelo Egito, já que é conhecida como “o maior museu a céu aberto do mundo”. Abriga muitos monumentos impressionantes do país, além de ser o ponto de partida da maioria dos cruzeiros fluviais.

Em Luxor você conhecerá o Vale dos Reis, os Templos de Karnak e Luxor e o Templo de Hatshepsut. Mas estas são apenas algumas das melhores coisas para fazer em Luxor.

Comece o dia no Templo de Karnak. É o maior templo de Egito cobrindo cerca de 200 acres (1,5 km por 0,8 km). Logo você perceberá que o Templo de Karnak domina toda a paisagem de Luxor, mas não é por acaso… foi construído no esplendor dos faraós do Império Novo, em 2055 AC a cerca de 100 DC. Isto é, passou pelo mandado de 67 faraós durante mais de 2.000 anos. É dedicado a Amon-Ra, deus do Sol.

Ao entrar no complexo por uma grande via processional, ladeada em ambos os lados por esfinges com cabeça de carneiro, pouco a pouco você conhecerá várias atrações como o Grande Templo de Amon (o principal edifício do templo), o Quiosque de Sesostris, o Templo de Ptah e o Templo de Montu.

Após a visita no Templo de Karnak, visite o Vale dos Reis. É um destino espetacular no Egito que fica na margem oeste do rio Nilo. Nesta pequena área você conhecerá uma quantidade impressionante de túmulos requintadamente decorados de reis do Antigo Egito. Entre eles estão alguns dos faraós mais famosos como Tutancâmon, Seti I e Ramsés II. Os ingressos custam 100 libras egípcias inteira e 50 meia.

Templo de Karnak
Templo de Karnak, Esfinges com cabeça de carneiro

Dia 8: Ainda em Luxor, conhecer mais da Antiga Tebas e Templo de Luxor

Ainda em Luxor e pela região conhecida como Antiga Tebas você poderá conhecer os Colossos de Memnon — duas gigantescas estátuas de pedra que representam o faraó Amenófis III — e o Templo de Luxor. A saber, hoje o que é chamado de Antiga Tebas foi a capital do Egito durante o período do Novo Reino (1570 a1069 AC) e tornou-se um importante centro de adoração ao deus Amon (também conhecido como Amen, uma combinação dos deuses anteriores Atum e Rá).

Tebas era conhecida como Waset, Terra do Cetro. Era a 4ª província do Alto Egito e a cidade mais importante da história do Antigo Egito, pois era o lar da maioria dos governantes do Império Médio e de todo o Novo Rei. Tebas foi a capital administrativa e religiosa durante grande parte de sua história antiga. É por isso que nessa região estão as principais atrações turísticas.

Vá até o templo de Luxor. É bem grande e contem dez seções ao todo. Só a entrada tem mais 61 m de largura! As principais atrações do templo inclui a Avenida das Esfinges, o Primeiro Pilão, o Acampamento Romano, a Mesquita, o Pátio de Ramsés II, o Pátio de Amenhotep III, a Capela de Mut, a Capela de Khonsu, a Capela de Amon e, finalmente, a Câmara de Nascimento.

Datado de 1392 AC, foi construído na margem leste do rio Nilo sendo dedicado às divindades Mut, Khonsu e Amon. Sua construção foi iniciada pelo faraó Amenófis III e concluída pelo faraó Tutancâmon.

Templo de Luxor Iluminado
Templo de Luxor

Dia 9: Viagem até Hurghada para desfrutar o Mar Vermelho

Hurghada é uma cidade na província do Mar Vermelho do Egito. Fica a 309 km de Luxor e é um dos principais centros turísticos do país. Devido a sua localização, Hurghada tem uma variedade de atividades para quem gosta do mar e da praia. Nem precisa dizer que não pode faltar no seu roteiro de viagem pelo Egito.

Estas atividades incluem mergulho, snorkeling, windsurf, parapente e jetskis. Além disso, você também pode passear em um barco de vidro (ou melhor, com fundo de vidro) onde você pode ver os incríveis recifes de corais e paisagens subaquáticas do Mar Vermelho.

Ademais de muitos restaurantes, bares e discotecas, a cidade de velha de Hurghada, El Dahar, abriga tradicionais cafés e souks egípcios. Outra atração comum em Hurghada são os seus ótimos resorts com tudo incluído (ou só café da manhã). Os melhores resorts de Hurghada são:

Em suma, Hurghada é o resort mais antigo e famoso do Egito. Tem um dos corais de recife mais coloridos do Mar Vermelho que chama a atenção de todo o mundo. Justamente por sua beleza, é aqui que estão concentrados os resorts de Egito.

Resort em Hurghada, Egito
Resort em Hurghada, o paraíso no Mar Vermelho, Egito

Dia 10: Volta até Cairo para fazer uma excursão em Port Said

Neste último dia de roteiro você vai pegar um avião de volta para Cairo e fazer uma excursão até Port Said. É uma cidade com muitas atrações populares, incluindo o Farol de Port Said, Museu de Arte Moderna El Nasr e o Canal de Suez.

Port Said tornou-se uma cidade famosa após cavar o Canal de Suez. Aliás, você sabia que no Canal de Suez passam diariamente um grande número de navios? Justamente por isso, a cidade é o principal local onde se ocupa uma movimentação de contêineres através das operações de descarga e embarque de navios, embarque e transporte para armazéns e fornecimento de combustível, alimentos e água.

Antigamente, a cidade era uma vila de pescadores, e depois da conquista islâmica do Egito tornou-se uma fortaleza e um porto ativo. Vale a pena conhecer o Canal de Suez e o Farol de Port Said. O Farol foi construído durante o reinado de Khedive Ismail em 1869 pelo engenheiro francês François Connier e sua altura é de 56 m. É também considerado um modelo único para o desenvolvimento da arquitetura do século XIX em Port Said.

Vista de Port Said do Canal de Suez
Vista de Port Said do Canal de Suez

Não gostei, como posso eu mesmo montar um roteiro para o Egito?

Sim! Montar um roteiro para o Egito pode ser mais fácil do que você imagina. Aliás, com tantos passeios para escolher, talvez a parte mais difícil seja decidir qual (ou quais) pontos turísticos visitar. Uma opção é fazer um percurso subindo (ou descendo) o rio Nilo, por exemplo, partindo de Cairo até Assuã, ou saindo de Assuã e subindo até o Cairo. O transporte no Egito pode ser feito em carro, trem ou avião (as principais cidades têm aeroportos).

No entanto, saiba que os turistas costumam comprar um pacote de viagem para o Egito que inclui as principais atrações turísticas com guias em português (ou espanhol) em um cruzeiro pelo Rio Nilo. Isso porquê entendem que a cultura e o idioma podem ser um problema. Sinceramente, essa é a opção com melhor custo x benefício, pois você não precisa se preocupar com nada. Ou melhor, só em aproveitar a sua viagem para o Egito!

Se acaso você acha essa ideia interessante, veja estas opções de pacote de viagem para o Egito:

Quero fazer um roteiro por conta, como se locomover no Egito?

A saber, o principal meio de transporte entre as cidades e pontos turísticos feito pelos turistas é a bordo do cruzeiro contratado em um pacote de viagem para o Egito. No entanto, saiba que o Egito tem uma rede ferroviária eficiente que liga o Vale do Nilo, o Delta e a Zona do Canal. Ademais, em outros lugares você pode viajar facilmente de ônibus ou táxi compartilhado. E se você estiver por perto, no rio Nilo você pode desfrutar de felucas, enquanto no deserto há a chance de testar suas proezas de andar de camelo.

A resposta é… depende! Isso porque para definir o melhor roteiro para o Egito temos que considerar muitos fatores como, por exemplo, as preferências de passeios, interesses pessoais, se você viaja só ou acompanhado(a) ou a época da viagem. No entanto, sim, podemos dizer que o melhor roteiro para o Egito deve incluir as pirâmides de Gizé e a Grande Esfinge, o Templo de Luxor, os Templos de Abu Simbel e uma visita ao Lago Nasser, já que estão entre os principais pontos turísticos do Egito.

E o que fazer no Egito se não tenho pacote de viagem?

De fato, o Egito é conhecido por seus tesouros antigos e rica história, mas há muito mais que você pode conhecer além dos passeios tradicionais. Isto é, não só possui águas surreais e praias de areia dourada, mas também tem uma culinária incrível, noites agitadas e arquiteturas notáveis e impressionantes. E o melhor? Você não precisa de um pacote de viagem para conhecer o melhor do país!

Uma maneira é realizando excursões ou visitas guiadas contratadas individualmente. Se acaso você gosta da ideia, veja algumas opções do que fazer no Egito sem pacote de viagem:

Mudei de ideia, um pacote com roteiro de viagem pelo Egito vale a pena?

Sim, se você optar pelo pacote de viagem para o Egito, tudo o que você precisará para fazer aproveitar a sua viagem é… chegar lá! O restante já está planejado para você curtir, seja sozinho, seja com a sua família.

De fato, o Egito é um destino enigmático que quase todo mundo tem curiosidade em conhecer e com um pacote você não só conhece todas elas, mas também fica por dentro de todos os detalhes. Ademais, viajar para o Egito é considerado um destino acessível para muitos brasileiros quando comparamos a outros destinos internacionais. Por isso, vale a pena comprar um pacote com um roteiro de viagem pelo Egito preparado pelos guias.

Independente da sua escolha, não deixe de fora as principais atrações. Isto é, conheça as pirâmides, os templos antigos, a rica história e oásis impressionantes. Mas não pare por aí! Já que a cultura e a comida (espere comer muito falafel!) além de um incrível cruzeiro pelo rio Nilo fazem com que essa viagem seja uma experiência inesquecível.

Gostei! O que está incluído no roteiro de viagem pelo Egito?

A boa notícia é que está tudo incluído! Isto é, toda a documentação como visto, os voos internos entre as cidades, as hospedagens, todas as refeições (café da manhã, almoço e jantar), os ingressos para as atrações com guia em português durante a viagem e também as gorjetas.

Ou seja, você não precisa colocar a mão no bolso durante toda a sua viagem para o Egito, somente para fazer as suas compras pessoais e levar as suas lembranças e presentes para casa! Pode acreditar, é isso mesmo!

Vale lembrar que o roteiro que fizemos tem uma ordem de cidades e passeios específicos. No entanto, considere que ela pode diferir por alguns motivos. Mas os passeios e as visitas principais não mudam.

Qual o tipo de hospedagem do pacote?

Existem duas categorias disponíveis de hotéis e de cruzeiro se você optar em fechar esse pacote. Por isso, pense bem em qual deles é o mais adequado para você. A primeira é a categoria standard, que inclui:

Já para a categoria de luxo, esses serão os hotéis:

Aliás, a diferença pode ser considerável se você gosta de ficar em hotéis com mais comodidade e conforto. Afinal, prepare-se para caminhar bastante nesse roteiro de viagem pelo Egito.

O que não está incluído no pacote de viagem para o Egito?

A saber, a pensão completa conta com as principais refeitções. No entanto, as bebidas e o Wi-Fi a bordo do cruzeiro que tem um custo adicional de R$32,20 (o preço pode variar).

Precisa de visto para viajar para o Egito?

Sim, para visitar o Egito é necessário levar o passaporte com uma vigência mínima de 6 meses e solicitar um visto. No entanto, é fácil e você pode obter o visto diretamente ao chegar ao aeroporto do país, ou na embaixada do Egito em Brasília, ou Rio de Janeiro. Para mais informações, consulte o site do Portal Consular.

Já decidi minha a viagem! É seguro viajar para o Egito?

De modo geral, o Egito é um país seguro para visitar, especialmente se você estiver indo para as cidades mais frequentadas por turistas, como Cairo, Alexandria ou as cidades turísticas ao redor do Mar Vermelho.

E quando viajar para o Egito?

A melhor época para visitar o Egito é entre outubro e abril. Nesta época as temperaturas são amenas, mas com sol garantido. Durante a primavera e o outono, as temperaturas diurnas atingem de 25 °C a 30 °C, mas as noites são muito mais frias. Sempre haverá sol! O Egito é abençoado com muito sol e poucas chuvas.

E quando é mais barato viajar? Você pode se espantar como o Egito (com tantos pontos turísticos) ainda é surpreendentemente bom para viajantes com orçamento limitado. Neste caso, a melhor época é bem no meio do verão (de julho a setembro), já que esta é a baixa temporada do turismo por lá. Os lugares estão menos lotados, os hotéis menos cheios e há mais espaço para os viajantes pechincharem nos preços.

Não sei nada do país… Onde fica o Egito?

O Egito, oficialmente chamado de República Árabe do Egito, é um estado no nordeste da África com uma extensão de 1.020.000 km². A maioria do país está localizada no norte da África, no Oriente Médio e inclui, também, parte da Península do Sinai.

Onde fica o Egito no mapa?
Onde fica o Egito no mapa? Fonte: Google Maps

E quanto vale R$ 1 no Egito?

A moeda oficial do Egito é a Libra Egípcia (EGP). O câmbio é de aproximadamente LE 3,76 ( US$ 0,2) por R$ 1,00.

Qual idioma se fala no Egito?

O idioma falado no Egito é o árabe, e a maioria das pessoas são de religião islâmica. Como em toda viagem de turismo, ao fazer esse roteiro pelo Egito devemos nos atentar aos costumes locais. Isso se deve, sobretudo, por ser um destino islâmico, já que os costumes são bem diferentes do que estamos acostumados.

Perguntas Frequentes

Quantos dias devo ficar no Egito?

Sete dias é geralmente uma quantidade de tempo ideal para passar no Egito. Você poderá conhecer as principais cidades como Cairo, Assuã, Luxor e Alexandria, além de navegar pelo rio Nilo e conhecer o Mar Vermelho.

É caro viajar para o Egito?

O Egito é um país incrivelmente barato, mas qualquer área turística no Egito (chamada de Sharm) terão os preços mais altos que a média.

E então, gostou? Esperamos que tenha gostado do nosso roteiro de viagem pelo Egito, sobretudo das ideias do que fazer! Seja para conhecer o Mercado de Khan el Khalili em Cairo, seja visitar Luxor Aswan, conhecer a Grande Esfinge, percorrer o Rio Nilo a bordo do cruzeiro ou mergulhar no maravilhoso Mar Vermelho, você vai ver que conhecer o Egito será algo mágico! E se acaso você quer saber mais da África, faça uma viagem para Cape Town na África do Sul com a gente agora mesmo!



Robba Caravieri
Aos 40 anos deixei meu país, o Brasil, para descobrir o mundo. Escolhi Barcelona para ser minha casa por enquanto, mas sou De Lugar Nenhum.

One Response

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.