viver na islândia

Se você é uma daquelas pessoas que curte uma aventura na natureza, provavelmente vai querer saber um pouco mais sobre viver na Islândia.

Desde 2010, o país tem ganhado cada vez mais turistas, por conta de uma grande erupção que aconteceu no Vulcão Eyjafjallajokull. 

Ainda que seja um país dotado de belezas naturais incríveis, que vão desde vulcões a geleiras e piscinas termais, muita gente nem procura saber muito por achar que é muito caro viajar para lá.

A viagem não é tão cara como você imagina

A moeda local se chama “króna”. Não é muito fácil achar casas de câmbio que façam a troca no Brasil. Até porque, o movimento para lá não é muito alto.

Por isso, o recomendado é que você leve uma quantidade segura de dinheiro para fazer a troca chegando na Islândia. Para você ter uma ideia, uma coroa islandesa equivale a 0,043 do real brasileiro. 

Ou seja, 1$ equivale a mais ou menos 43 ISK (a sigla para o dinheiro da Islândia).

Custos médios para se viver na Islândia

Aluguel de apartamento 1 quarto180.000,00 kr
Transporte público mensal12.800,00 kr
Refeição em restaurante comum2.500,00 kr
Internet banda larga mensal9.484,63 kr
Salário médio mensal414.465,03 kr
Valores médios que podem sofrer alterações a qualquer momento

De modo geral, as pessoas na Islândia não gostam muito de pagar as coisas em dinheiro. Por isso, se você tiver um cartão de crédito internacional, será ainda melhor, mas esteja ciente que a taxa do IOF gira em torno de 6,38%.

Além disso, não existem voos diretos para a Islândia, sendo necessário fazer escalas. Os valores mais baratos que você pode encontrar para os voos giram em torno de R$4 mil e R$5 mil reais, ida e volta.

Viver na Islândia é caro, mas paga-se bem, ao mesmo tempo.

Conhecendo a capital da Islândia

Uma parada obrigatória na sua viagem é a capital da Islândia, Reykjavik. Apesar de ser uma das partes mais movimentadas do país, a população é de apenas 100 mil habitantes. Um número bem baixo para uma capital!

Embora a cidade seja bem pequena, é charmosa e muito interessante, porque a cultura nórdica é muito diferente da nossa.

O que fazer em Reykjavik?

Reykjavik - viver na islândia - de lugar nenhum

Estando na capital, você poderá aproveitar um passeio para conhecer toda a ilha através da Ring Road, uma estrada em formato de anel que circula todo o país.

Você levaria em média 10 dias para conseguir passar por toda a Islândia e conhecer suas principais cidades e pontos turísticos.

Aproveite para conhecer também uma das igrejas mais famosas da capital, a Igreja Hallgrímskirkja. Com mais de 74 metros de altura, é o prédio mais alto da capital.

O mais interessante da igreja é o seu formato: ela foi desenhada para parecer um vulcão. Além disso, no topo dela, fica acesa permanentemente uma luz alaranjada que dá a impressão de que é a lava escorrendo. Tudo isso foi proposital na hora da construção da igreja.

Mais lugares : Perlan

Dê uma passada também pelo Perlan. Esse prédio é algo único no mundo. Em cima de 6 tanques enormes, foi construída uma cúpula de vidro. Essa água toda é utilizada para aquecer a cidade. Dentro da cúpula você poderá almoçar em um restaurante, tomar um café e ainda apreciar uma vista panorâmica da capital.

E um dos tanques não contém água, e sim um museu de cera! Lá você poderá ver várias esculturas nórdicas retratando a cultura dos vikings.

Visite o Blue Lagoon

blue lagoon - viver na islândia - de lugar nenhum
Um dos lugares mais visitados da Islândia, Blue Lagoon

Imagine as águas do caribe aquecidas naturalmente por vulcões. É mais ou menos assim a vista que você terá do Blue Lagoon.

Essa é certamente uma das atrações que você não pode deixar de visitar na Islândia.

A lagoa fica localizada na cidade de Grindavík, a mais ou menos 40 quilômetros de distância da capital.

O Blue Lagoon é um spa natural, embora tenha sido criado pelo homem. Onde hoje funciona o spa, antigamente havia uma usina elétrica que usava a atividade geotermal para produzir a energia para a cidade.

Conforme o tempo foi passando, mais pessoas começaram a frequentar a região e tomar banho no lago, pois além de a água ser quente, acreditavam que ela tinha poderes miraculosos e curativos, já que é cheia de minerais.

Foi assim que algumas empresas de cosméticos começaram a ter a ideia de produzir um spa na região. 

Como funciona o Blue Lagoon?

Hoje, há um grande complexo na área de spas. Ao chegar, o visitante é recepcionado para fazer o check-in e levar seus pertences a um quarto e aproveitar o pacote comprado.

A cada dois dias, as águas da lagoa são trocadas. Existem vários pacotes que podem ser adquiridos, que dão direito a coisas como:

  • Entrada no spa;
  • Máscara de sílica
  • Máscara de algas;
  • Reserva em restaurante;
  • 1 espumante;
  • Roupão;
  • Chinelos;
  • Toalha;
  • Drinks especiais.

Agora você deve estar pensando no preço dos pacotes, certo? Mas não se preocupe. Eles não são tão caros assim. O mais barato no verão custa algo em torno de 50 euros, enquanto o mais caro custa 80 euros.

Já no inverno os preços caem para 40 euros e 70 euros, respectivamente.

O lugar é incrivelmente lindo e você precisa conhecer!

Visitando Jokulsárlón, a região dos icebergs

Você já pensou em ver um lago cheio de icebergs? Na Islândia, é a coisa mais comum. É como procurar por praias no Brasil.

Esse é um passeio que definitivamente vale a pena você fazer, faça frio ou faça calor.

Existem muitos passeios de barco na região, e você poderá pegar um barco zodíaco, que é um pouco menor, mas chega muito mais perto dos icebergs. Você poderá ver tão de perto que quase poderá tocá-los.

Se você ainda ficar mais perto da margem do lago, poderá ver o espetáculo dos icebergs se colidindo depois de derreterem.

Mas não é bom ficar muito perto, não é?

Conheça Dettifoss

A Detifoss é uma catarata localizada no Parque Nacional de Jökulsárgljúfur, perto de Mývatn. Essa não é a cachoeira mais potente da Islândia, mas talvez de toda a Europa.

Se você já assistiu ao filme Prometheus, essa é a cachoeira da abertura do filme! Aí você já conseguirá ter uma noção do que estamos falando.

A melhor forma para você chegar até Dettifoss é pela Estrada 862. Ela levará você até um estacionamento de onde poderá ter uma vista melhor da cachoeira.

Mas se você pegar a Estrada 864, terá uma vista muito mais impressionante. Mas tome cuidado. A estrada é bem mais perigosa. Além de não ser asfaltada e de estar em péssimas condições, não é qualquer carro que consegue encarar o tranco nela. Antes de viver na Islândia, você precisa conhecer.

Além disso, ela é tão estreita que não comporta dois carros de uma vez.

Porém, se você estiver andando por ela, não se preocupe. Ao longo da estrada você encontrará várias aberturas, os meeting points. Eles foram feitos para o caso de outro carro estar vindo na outra direção.

Assim, é só entrar nessa meia-lua para que o outro carro tenha a passagem livre.

A Dettifoss tem mais de 100 metros de largura por aproximadamente 50 metros de altura.

Em dias nublados, o cenário chega quase a ser assustador. As águas turvas e escuras são extremamente violentas, e se você preza pela sua vida, não chegue muito perto da água, como alguns turistas gostam de fazer!

Círculo Dourado

A apenas uma hora da capital islandesa, você deveria aproveitar também esse passeio para conhecer o Círculo Dourado. Trata-se de um circuito que possui aproximadamente 300 km de extensão.

Ele se estica desde o Parque Nacional de Pingvellir, passa por quedas d’água e pelo vale dos gêiseres.

O próprio Parque de Pingvellir merece a sua atenção durante o passeio. Isso porque além de ele ter sido declarado Patrimônio Mundial pela Unesco, reúne uma diversidade enorme de riquezas culturais, históricas e naturais.

Lá mesmo você poderá visitar de perto o maior lago da Islândia, e ainda poderá conferir pessoalmente as placas tectônicas que formaram uma fenda que divide a América da Europa.

É incrível pensar nisso, não é? Você literalmente poderá ver a divisão física entre os continentes!

Gullfoss

Em seguida, ainda no parque você poderá conhecer Gullfoss, um complexo de cachoeiras espetacular. Em islandês, o termo significa cascata dourada, e ela recebeu esse nome porque todos os dias, no período da tarde, o sol reflete na água, tornando-a dourada. É um espetáculo imperdível. Viver na Islândia, mas conhecer antes de tudo.

As cachoeiras formam uma espécie de salto. Isso é, elas são longitudinais, formando degraus que desembocam em uma grande cascata. Ela, então, tem mais de 30 metros de altura e um pouco mais de 70 metros de largura.

Apesar de ser quase tão violenta quanto a Dettifoss, existem pontos mais seguros no parque de onde você pode ficar observando o cenário.

Conclusão

Você se interessou mais por conhecer a Islândia? De fato, é um país incrivelmente lindo, e se um dia você tiver essa oportunidade, aproveite para conhecer a famosa ilha do gelo.

Antes de viver na Islândia, você precisa conhecer. Para conhecer a Islândia, é obrigatório ter um seguro viagem. Para contratar o seu, clique aqui! 

Leia também: Cidades mais baratas para viver em Portugal



Robba Caravieri
Aos 40 anos deixei meu país, o Brasil, para descobrir o mundo.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Navegue

Posts Relacionados


Fique por dentro

Inscreva-se na nossa newsletter e receba sempre em seu e-mail todas as novidades, promoções e dicas.
Basta digitar seu e-mail no campo abaixo e pronto!

© 2022 De Lugar Nenhum. Todos os direitos reservados.